É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

RJ: Comissão do Senado apresenta relatório final sobre tragédia em Petrópolis

Compartilhe:

O Senado Federal apresenta na próxima quinta-feira (12) o relatório final da Temporária Externa criada para acompanhar “in loco” a situação do município de Petrópolisna Região Serrana do Rio de Janeiroem decorrência do temporal que atingiu a cidade no dia 15 de fevereiro deste ano. UMA CNN teve acesso ao documento.

O relatório tem95 foi feito para reverter os estragos no município e diminuir os riscos de que novas tragédias acontecem. Dentre elas, 43 são para Prefeitura de Petrópolis, 20 para o Governo Federal, 14 para o Governo do Estado do Rio de Janeiro. Outras 12 são para o Poder Legislativo, duas para a Caixa Econômica Federal, duas para entidades de arquitetura e engenharia, uma para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e uma para a Universidade Federal Fluminense (UFF).

Como descreve o relatório, “o temporal de aproximadamente 260 milímetros em duas horas deixou 233 mortos, 4, um rastro de destruição em vários pontos do município desaparecido, a economia local debilitada e a comunidade traumatizada por mais essa calamidade”.

Entre a sociedade, os senadores orientam que a prefeitura atualize o plano municipal de contingência com uma participação de liderança comunitária, organizada civil e órgãos municipais, estaduais e federais. Além disso, a comissão cita o “poder de polícia”, para que a gestão da fachada municipal valer a ordem de desocupação dos locais atingidos por desastres e evitar que pessoas reembolsadas a casas ameaçadas.

Para o Governo Federal, a primeira manutenção é alterada dos núcleos de funcionamento do Sistema Nacional e Defesa Civil para atualizar os reforços, manutenção dos mecanismos de comunicação institucional, necessidades identificadas para o reforço dos estados e a reafirmação da importância da criação dos municípios e da defesa dos núcleos comunitários. Defesa Civil. Além disso, uma comissão orienta que o Executivo Federal a Defesa Civil Federal na formulação de projetos e na execução de obras eficiente para reduzir riscos e prevenir a ocorrência de desastres. UMA CNN buscado o Ministério Regional para saber se cumprir o desenvolvimento e aguardar retorno.

Ao Governo do Estado, os parlamentares recomendam que assumam e concluam as obras pendentes do PAC das Encostas no município de Petrópolis. Além disso, orienta que o governo garanta recursos para a execução das cinco obras emergentes de maior dimensão assumida pelo estado, com custo de cerca de R$ 150 milhões.

Petrópolis (RJ)
Chuvas fortes da Região Cleber Caetano estragos e vítimas na cidade do RJ

Os parlamentares da comissão visitaram as áreas de audiências, se reuniram com o prefeito Bontempo e os próprios secretários municipais de Petrópolis e da Câmara Municipal de Petrópolis e os públicos públicos.

Quando foi criada, a comissão tinha prazo de funcionamento de 30 dias, mas foi divulgada por outros 30, com fim quinta-feira (12).

Imagens aéreas de Petrópolis mostram região alagada após fortes chuvas / Lucas Lamela/CNN

Conclusões da comissão

Comissão Temporária do Senado e recursos recursos.

A respeito da preparação contra desastres, os parlamentares identificaram a “ausência virtual de um plano de contingência efetiva”. O relatório menciona que, em razão de disputa judicial, a chapa vencedora nas cidades de 2020 só tomou posse em 18 de dezembro de 2021, 59 dias antes da tragédia.

Para os integrantes da comissão, a demora “grave instabilidade política” e prejudicou a governança administrativa no município, o que gerou dificuldades como ações de prevenção e coordenação das respostas ao desastre.

Nesse contexto, a comissão sugere que o município de Petrópolis e toda a Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro tenham um órgão ou entidade nos moldes da Fundação Instituto de Geotécnica do Município do Rio de Janeiro (Geo-Rio), com a função de e avaliar os riscos genéticos na cidade e executar como amostras grátis para minimizá-los

No tema da habitação, entende-se que “esta é uma situação em que as áreas óbvias devem ser ocupadas e reforçadas todas as áreas: o poder público deve ser visto como evidente para o caso, impedir a ampliação ou promover a decisão de medidas de risco ”.

“Essas consequências (destruição e mortes) são tão previsíveis quanto às situações em que o Estado permite (e as consequências de fornecimento de serviços púbicos) são tão inaceitáveis ​​quanto as situações em que o Estado permite (e as consequências de fornecimento de serviços públicos) são garantidas a ocupação de áreas de risco, áreas em que a probabilidade de ocorrência de desastre é conhecido, fazendo dele apenas uma questão de tempo.”

Comissão Temporária Externa

2 Orçamento da comissão (PL o relatório de saúde mental ao relatório de duas emendas do senador Portinho)

uma que destina R$ 1 milhão ao Ministério da Cidadania, para estruturação da rede de serviços do Sistema Único de Assistência Social (SUAS);

outra que alocar R$ 1,5 milhão ao Ministério da Saúde para incremento das ações de média e alta complexidade, o que poderá viabilizar o atendimento e acompanhamento de 2 mil pessoas em condição de sofrimento mental, inclusive por meio da telemedicina.

“O impacto emocional agudo da tragédia na sobrevivente é gravíssimo. As pessoas identificadas, ou principalmente amigos e familiares, marcadas para sempre. E essa situação pode ser cronicamente mais estressante para produzir estimulantes, principalmente sobre as crianças.

Comissão Temporária Externa

UMA CNN procurados os Ministérios da Saúde e da Cidadania para saber a possibilidade de realizar as propostas a verba sugerida pela Comissão e com retorno.

*Sob Supervisão de Helena Vieira.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.