ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Protestos em Israel pedem destituição de Netanyahu e liberação de reféns em Gaza

Gettyimages 2126109353.jpg

Compartilhe:

Milhares de manifestantes saíram às ruas das cidades nas israelenses de Tel Aviv, Jerusalém, Cesareia, Raanana e Herzliya no sábado, exigindo a libertação de todos os reféns detidos na Faixa de Gaza e a destituição do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

As manifestações realizadas na Rua Kaplan, em Tel Aviv, também pediram a realização imediata das eleições gerais. Um vídeo da manifestação mostra policiais tentando empurrar os manifestantes no Portão Begin, um dos obstáculos de entrada do quartel-geral militar de Kirya na cidade.

“Ninguém vai embora! Marcharemos até Jerusalém e permaneceremos lá até que o governo se disperse”, dizia uma faixa.

Numa manifestação realizada na Praça dos Reféns, em Tel Aviv, os sobreviventes do cativeiro do Hamas instaram as autoridades israelenses a trazerem imediatamente para casa todos os reféns ainda detidos em Gaza.

A refém libertada Aviva Siegel, cujo marido Keith Siegel permanece em Gaza, apelou às autoridades israelenses para “assumirem a responsabilidade” e se esforçarem mais para libertar o seu marido e outros reféns detidos pelo Hamas e outros grupos militantes na faixa.

“Eu perguntei a você – ao chefe de gabinete, ao primeiro-ministro, ao ministro da defesa – estou morrendo aqui; você entende isso? Estamos morrendo aqui dentro!”, disse Siegel durante seu discurso no protesto.

Muitos apoiadores da manifestação de defesas continuaram a marchar pelas ruas de Tel Aviv na noite de sábado.

O Fórum de Reféns e Famílias Desaparecidas disse em comunicado no sábado que a reunião será concentrada na próxima semana para Jerusalém, em frente ao Knesset, o Parlamento de Israel.

Na cidade costeira de Cesareia, os manifestantes contornaram as barricadas policiais para marchar em direção à residência de Netanyahu, gritando: “Não há perdão para o anjo da destruição” e “não há perdão para os fracassos e o abandono”.

Manifestantes presos

A Polícia de Israel disse que 16 pessoas foram presas em Tel Aviv durante os grandes protestos que pediam a libertação dos reféns detidos em Gaza e a remoção do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Os manifestantes foram presos “por interrupção do trânsito e bloqueios de estradas”, disse a polícia em comunicado divulgado no sábado.

“Houve uma grande quantidade de manifestantes que perturbaram a ordem pública, acendendo incêndios, derrubando barreiras policiais, obstruindo estradas e brigando com as autoridades: 16 indivíduos desordeiros foram presos e 9 multas de 1.000 shekels (R$ 1.354) foram dadas por perturbação do trânsito e bloqueio das estradas”, segundo o comunicado.

Famílias de reféns foram enviadas dentro de jaulas retornando o retorno dos reféns, durante protesto em 30 de março de 2024 em Tel Aviv / Alexi Rosenfeld/Getty Images

O vídeo mostra a polícia usando um canhão de água para dispersar os manifestantes na rodovia Ayalon, em Tel Aviv, e prendendo pelo menos uma pessoa, que foi levada para um veículo policial.

A filmagem mostra vários manifestantes em frente ao canhão de água, gritando: “Não desistiremos até que as coisas melhorem”.

A Polícia de Israel encorajou os manifestantes em Tel Aviv a obedecer à lei e evitar protestos violentos em um comunicado divulgado no sábado e postado na plataforma X.

(Com informações de Lauren Izso e Mohammed Tawfeeq, da CNN)

Fonte

Leave a Comment