ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

PM prende 8 pessoas com celulares furtados durante a Parada LGBT+ em SP

Design Sem Nome 1 1.jpg

Compartilhe:

Ao todo, oito pessoas foram presas suspeitas de furto durante a Parada LGBT+, que aconteceu neste domingo (2) na Avenida Paulista, em São Paulo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP)os agentes policiais foram disfarçados em meio ao público na Praça Roosevelt quando avistaram um homem e duas mulheres, entre 28 e 42 anos, em atitude suspeita.

No mesmo momento, uma equipe se aproximou e descobriu que um dos envolvidos entregou celulares para um terceiro suspeito, que escondeu os aparelhos em uma bolsa. Os policiais realizaram uma abordagem e atenderam oito celulares.

Durante a revista pessoal, mais dois aparelhos (que tinham registros de furto, sendo um no mês passado e outro em dezembro de 2023) foram localizados com os suspeitos, no entanto, nenhum deles soube explicar a origem dos dispositivos.

O trio foi encaminhado à delegacia e teve prisão decretada. O caso foi registrado como furto, recepção e captura de procurado, na Delegacia de Repressão aos Crimes Raciais, Contra a Diversidade Sexual e de Gênero e outros Delitos de Intolerância (Decradi), do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

No local, ainda foi constatado que uma das suspeitas havia sido entregue um documento falso aos policiais e ao ser questionado, foi descoberto que ela era procurada pela Justiça de Goiás.

Durante uma busca em um dos telefones furtados, os agentes encontraram um número de emergência e, ao ligarem para o número, uma amiga da vítima relatou que ela havia sido furtada durante o evento. A mulher foi até o Distrito Policial e teve seu celular devolvido. Os demais celulares foram descobertos.

No evento, outras cinco pessoas também foram presas com cinco celulares furtados após serem abordadas quando os agentes notaram atitudes suspeitas em meio à multidão. O grupo foi levado à Decradi e vai responder por crime de furto.

*Sob supervisão de Bruno Laforé

Fonte

Leave a Comment