ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

PF faz operação contra grupo que trafica armas dos EUA para milícias do RJ

Whatsapp Image 2024 04 04 At 7.05.53 Am E1712226917835.jpeg

Compartilhe:

Na manhã desta quinta-feira (4), a Polícia Federal deflagrou a operação “Ficção ou Realidade”, com o objetivo de apurar a prática de tráfico internacional de armas de fogo e acessórios oriundos dos Estados Unidos, além de comércio clandestino de material bélico as facções criminosas e milícias cariocas.

Os Policiais Federais cumprem seis mandatos de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em Curitiba (PR) e Maringá (PR).

A investigação foi iniciada com base em informações da Receita Federal, que revelou que o grupo investigado importava material bélico de forma irregular e contratou uma empresa do ramo de efeitos cinematográficos para armazenar clandestinamente os armamentos, sob a condição de estar lidando com “materiais de efeito não lesivo destinado ao serviço de show pirotécnico”, de maneira que não levantasse suspeitas sobre a atividade criminosa.

Em janeiro deste ano, em novo ponto da investigação, autoridades dos Estados Unidos apreenderam, em Miami, uma expressiva quantidade de material bélico que estava prestes a ser enviado clandestinamente ao Brasil, por meio da empresa de fachada.

Na ocasião, foram apreendidos: 261 carregadores de alta capacidade, geralmente usados ​​por milicianos e traficantes para exercer domínio territorial, segundo a PF, visto que comportaram até 90 munições de grosso calibre e alto poder destrutivo; e 88 acessórios de conversão de armas de fogo chamados de “Kit Roni”, que conferem maior estabilidade e precisão ao armamento, assim como transformam armas semi-automáticas em armas automáticas ou que disparam rajadas de tiros.

Os investigados responderão por crimes de tráfico internacional e comércio clandestino de armas de fogo e acessórios, além de associação criminosa. Caso sejam condenados, eles poderão receber pena de até 31 anos de reclusão.

A operação contou com o apoio de autoridades americanas e da inteligência do Ministério da Justiça.

Fonte

Leave a Comment