Paraguai dá um passo mais perto da regulamentação da moeda digital

0 19
Em 17 de dezembro de 2021, o Senado do Paraguai aprovou um projeto de lei sobre criptomoeda apresentado em julho. As disposições, que definem vários termos-chave, incluindo ativos virtuais e pedidos de licenças para minerar criptomoedas, serão agora enviadas à Câmara dos Deputados para deliberação posterior.

O senador Fernando Silva Facetti, defensor do projeto, revelou que ele foi aprovado no Senado paraguaio após um contencioso debate. Segundo o senador, a lei também visa fomentar o crescimento da atividade de cripto-mineração com o aproveitamento do excedente de eletricidade gerado no país.

O corpo da legislação inclui uma definição para ativos virtuais, tokens, mineração de criptomoeda e VASPs (provedores de serviços de ativos virtuais). Também concede ao Ministério da Indústria e Comércio a autoridade para buscar assistência de órgãos governamentais fora de seus limites para implementar a lei.

O projeto de lei afirma explicitamente que a mineração de criptomoedas é uma atividade legal, observando que:

“A mineração de ativos virtuais é uma indústria digital e inovadora. Esta indústria se beneficiará de todos os mecanismos de incentivo previstos na legislação nacional.”

O Paraguai supostamente produz mais energia do que consome. Como resultado, várias empresas estão interessadas em estabelecer operações de mineração de criptomoedas para explorar esse excedente potencial.

Relacionado: A adoção em massa se aproxima à medida que a segunda maior empresa da América do Sul aceita pagamentos criptográficos

Em julho, o congressista paraguaio Carlos Rejala e o senador Fernando Silva Facetti apresentaram um projeto de lei Bitcoin (BTC) no Congresso, demonstrando o compromisso dos legisladores em elaborar uma política abrangente de ativos digitais para seu país. A legislação já foi aprovada pelo Congresso do país e será discutida na Câmara dos Deputados em 2022.

Devido aos desafios econômicos e fiscais locais, especialmente na Argentina, Venezuela e México, a América do Sul emergiu como um viveiro viável para a adoção de criptomoedas. Por exemplo, à medida que suas moedas fiduciárias nacionais desmoronavam, argentinos e venezuelanos se voltaram para alternativas digitais como o Bitcoin como uma opção de pagamento mais viável. Outros, como El Salvador, adotaram uma abordagem completamente diferente, com o presidente incentivando o uso de BTC nas pessoas


Receba gratuitamente o Guia Prático do Bitcoin.

Credit: Fonte

Compartilhe sua opinião.

%d blogueiros gostam disto: