Ouro atingirá US$2.300 até 2022 e substituirá dólar como moeda reserva

0 793

Conforme observado pelos analistas do Goldman Sachs, um dos fatores que impulsionará o aumento do ouro é a descrença no dólar americano como uma moeda reserva. A preciosidade tem crescido rapidamente nos últimos dias.

 

Só para exemplificar, o metal amarelo conseguiu alcançar recentemente sua aguardada alta histórica. Isso fez com que o banco referência no mercado de investimentos fizesse sua previsão de curto e longo prazo para o ouro. De acordo com o Goldman Sachs, o metal precioso chegará a US$2.300 até 2022. Ademais, o ele já estará forte o suficiente para entrar em conflito com o dólar americano e ameaçar sua presença como moeda de reserva de valor mundial.

Ouro e novos recordes alcançados

Somente no mês passado, o ouro conseguiu chegar a US$1.900 por onça. Ou seja, um crescimento de 29% no decorrer de 2020. Apesar de ser um aumento considerável para o mercado do metal, os analistas do Goldman Sachs acreditam que há espaço para um desenvolvimento maior de pelo menos 20%.

“Com mais desvantagem esperada nas taxas de juros reais dos EUA, mais uma vez reiteramos nossa recomendação de longo prazo no ouro a partir de março e aumentamos nossas previsões de preços de ouro e prata para 12 meses para US$2300 / toz e US$30 / toz, respectivamente”.

Dólar vs Ouro

Além disso, o banco ainda reiterou sua posição com a falha do dólar em conseguir se manter como uma reversa de valor.

“O ouro é a moeda de último recurso, particularmente em um ambiente como o atual, onde os governos estão degradando suas moedas fiduciárias e empurrando as taxas de juros reais para mínimos históricos. Existem preocupações reais em relação à longevidade do dólar americano como moeda de reserva”.

Ademais, o banco apontou a segurança do ouro como um grande ponto para substituir o dólar. De acordo com Jeffrey Currie, principal estrategista do Goldman Sachs, o risco é de degradação das moedas fiduciárias que semeia a inflação, e o ouro é o melhor hedge contra a essa degradação.

Como fica o Bitcoin neste cenário?

Certamente que quem está envolvido no meio blockchain vê o Bitcoin como um investimento muito mais atraente que o ouro. Todavia, ainda precisa analisar se o BTC ainda é mais notável que o metal como um hedge de segurança frente a inflação. O criptoativo cresceu muito em 2020. Além disso, teve uma pequena correlação frente ao dólar se comprado com o metal amarelo.

No momento da escrita do artigo, o Bitcoin está sendo cotado a US$11.126. Analistas acreditam que o desempenho do BTC no curto prazo será excelente. Barry Silvert, da Grayscale, por exemplo, espera que a próxima resistência do Bitcoin seja em US$13.000. Enquanto isso, ouro ainda desfruta de sua alta histórica. Será que o criptoativo conseguirá acompanhar?

Compartilhe sua opinião.

%d blogueiros gostam disto: