É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

Órgão de saúde dos EUA não incluiu ivermectina entre terapias contra covid-19

COMPROVA-26-09.png

Compartilhe:

Conteúdo investigado: Tuíte do candidato a deputado federal pelo Rio de Janeiro Ed Raposo (PTB) diz que o Institutos Nacionais de Saúde adicionou uma rmectina em suas diretrizes de terapia viral para covid-19. O tuí mostra uma imagem de uma captura de tela do site do NIH que põe ao lado de outros medicamentos estudados ou já usados ​​como tratamento para uma doença, como o remdesivir.

Onde foi publicado: Twitter.

Conclusão do Comprova: É enganoso o não postar no Twitter que sugere que o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos passou a recomendar ivermectina para o tratamento de covid-19. A postagem, pelo candidato a deputado federal Ed Raposo (Usa uma imagem de captura de tela do site do NIH com informações sobre o remédio, mas traz do texto equivocadas sobre o conteúdo do texto.

Em sua página oficial de terapias antivirais para covid-19, o NIH disponibiliza dados sobre medicamentos em estudo ou já usados ​​para combater a doença, como remdesivir, paxlovid e ivermectina. A imagem do tuíte selecionado é um print dessa página, na qual é possível ler “COVID-19 Treatment Guidelines” (“diretrizes para tratamento da covid-19”) e os links sobre cada remédio. Diferentemente do que diz o post, porém, o NIH não recomendo o uso da ivermectina para covid-19, a não ser para estudos clínicos.

“Embora haja estudos sobre a ivermec, apenas alguns dizem bem desenhados e muitos poucos”, foram apenas alguns que dizem bem desenhados e muitos, nenhum site para justificar uma contraindicação. “Ensaios clínicos mais recentes não têm mais provas como os estudos anteriores, mas não comprovam provas de que a redução da recuperação ou prevenção da progressão da covid-19”. Para o órgão, é preciso haver mais estudos.

Dados clínicos conhecidos como Together, que foi narrado no Brasil e é citado de um exemplo não há diferença significativo entre o uso de ivermectina e de placebo para reduzir o risco de hospitalização por covid-19 (em um caso, houve 14,7% de hospitalização e em outro, 16,4%). Também não há diferença relevante entre os dois para reduzir o risco de mortalidade pela doença (3,1% a 3,5%).

Não há terapia com ivermectina para covid-19 nos Estados Unidos. Consultada pelo Comprova, a Food and Drug Administration, reguladora que aprova medicamentos e vacinas no país, afirmou que nunca autorizou a aplicação do vermífugo para tratamento ou prevenção da doença. A agência disse também que tem aplicado testes clínicos com o remédio e apurado seus resultados contra a covid-19.

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz uma interpretação diferente da intenção de seu autor; ou conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: O Comprova verifica conteúdos com grande alcance nas redes sociais. Até 2 de setembro, havia cerca de 11,5 mil presentes com o tuíte checado, entre curtidas e compartilhamentos.

O que diz o autor da publicação: O Comprova inveja uma mensagem de WhatsApp a um número indicado no Twitter como da campanha de Ed Raposo, mas não resposta até o fechamento desta verificação. O Comprova também tentou ligar para o número, mas ele não aceitou como chamadas.

Como verificamos: Para verificar se você é enganoso, o Comprova buscou no Google as expressões de “NIH”, “ivermectina” e “terapias antivirais” site da agencia americana. Na seção sobre terapias antivirais contra a covid-19, na página do NIH de fato a ivermectina, mas como remédio em estudo.

A seleção leu como informações do site sobre o medicamento. A partir daí, o Comprova entendeu que, na verdade, o NIH não recomenda o uso do vermífugo contra a covid-19, diferentemente do que sugere o tuíte selecionado. De volta ao Google, uma reportagem descoberta que serviços de checagem como o da agência Reuters já havia desmentido no início do mês boatos como o divulgado pela publicação.

Para saber se a ivermectina havia sido liberada de alguma outra forma nos Estados Unidos, o Comprova entrou em contato com a Food and Drug Administration. A verificação feita à agência se o uso do remédio recebeu parecer favorável para o tratamento ou prevenção da covid19. Por e-maila fabricante estabelecido do tipo, ainda de estudo com o recurso.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos que viralizam nas redes sociais sobre a pandemia, como presidenciais e políticas públicas do governo federal. Conteúdos falsos ou enganosos sobre tratamentos contra a covid-19 não podem afetar a saúde das pessoas a se automedicar com remédios recomendados — o que, além da doença, pode visar a saúde.

Outras checagens sobre o tema: Uma agência Reuters testado checagem sobre o mesmo assunto e desmentiu a informação.

Em verificações anteriores sobre o uso de ivermectina, o Comprova já mostrou ser falso que o Japão preparador foi preparado que o antiparasita é mais eficaz do que vacina e que um estudo realizado em Itjaí comprovou a técnica do medicamento.

Investigado por: Nexo, O Estado de S. Paulo e SBT. Verificado por: Metrópoles, Plural, Piauí, Correio de Carajás, O Dia e A Gazeta.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *