ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Omnibolt e Lightning Network: desvendando o futuro das transações de criptomoeda

Omnibold Lightning Network .jpg

Compartilhe:

Resumo

A Lightning Network tem sido uma das maneiras mais promissoras de resolver problemas de escala e velocidade de transações no mundo das criptomoedas. É uma solução de segundo nível construída sobre o blockchain Bitcoin, projetada para resolver os problemas de escalabilidade e velocidade de transação no blockchain convencional. A Lightning Network permite transações quase instantâneas com taxas mais baixas, tornando-se uma solução promissora para micropagamentos e outros casos de uso.

O OmniBOLT é construído sobre o OmniLayer, o que permite que os tokens sejam criados e transmitidos pela Lightning Network. Esse recurso aumenta a flexibilidade e a acessibilidade da Lightning Network para uma ampla gama de usuários. Além disso, espera-se que a incorporação de contratos inteligentes no OmniBOLT ofereça flexibilidade adicional à Lightning Network e facilite contratos mais complexos. Esse recurso é particularmente benéfico para negociação de alta frequência, que antes era inviável no blockchain primário devido a tempos de transação estendidos e taxas exorbitantes.

Estou entusiasmado com a utilização da tecnologia da Lightning Network para conduzir transações usando stablecoins. Com a integração de Omnilayer e OmniBOLT, o ecossistema da cadeia pública BTC pode experimentar um crescimento significativo? Nota: As informações apresentadas no texto a seguir são derivadas de fontes publicamente disponíveis na internet.

Eventos cronológicos de Omnibolt e Lightning Network

Para esclarecer, OmniBOLT não é simplesmente uma reinvenção da Lightning Network, mas sim uma extensa expansão que permite uma ampla gama de possibilidades inovadoras. Para uma visão geral concisa da Lightning Network e seu desenvolvimento, os leitores interessados ​​podem consultar[1]

Em 2015, dois jornais inventaram oficialmente a Lightning Network:

  1. Christian Decker, Roger Wattenhofer, uma rede de pagamento rápida e escalável com canais de micropagamento Bitcoin Duplex[2]
  2. Joseph Poon, Thaddeus Dryja, The Bitcoin Lightning Network: pagamentos instantâneos fora da cadeia escaláveis[3]

Em 2016, o protocolo BOLT foi pesquisado por várias organizações e lançado oficialmente em conjunto.

2017, soft fork baseado em SegWit do Bitcoin em 2017, que liberou espaço para mais transações caberem em cada bloco e resolveu o bug do Bitcoin chamado maleabilidade da transação.

Em 2018, o Lightning Labs finalmente lançou uma versão beta de sua implementação da Lightning Network na rede principal do Bitcoin.

2020, OmniBOLT foi proposto na comunidade omni.

2022, a Synonym enviou a primeira transação USDT stablecoin na Lightning Network usando a ferramenta de prova de conceito lançada pela OmniBOLT[4].

Em 2022, a Omnilayer atualizou seu núcleo para oferecer suporte a “sendToMany”, que resolve o problema de que os tokens não são propícios ao estabelecimento de canal na camada de liquidação e pode simplificar bastante o protocolo do OmniBOLT, para que o OmniBOLT possa construir comunicação de nó como BOLT.

Outro marco significativo na linha do tempo é o lançamento do Omnilayer em 2014, que facilitou a emissão de USDT em sua plataforma. A partir de 2022, o USDT cresceu e se tornou o terceiro maior ativo de criptomoeda.

Este desenvolvimento destaca o papel do OmniLayer em fornecer suporte para a camada de liquidação da Lightning Network para acomodar diversos ativos. Com o advento do OmniBOLT, as transações USDT dentro do ecossistema Bitcoin agora podem ser executadas de forma rápida e barata por meio de pagamentos de canal. Pode-se argumentar que essa conquista fornece uma base sólida para o crescimento do ecossistema.

Protocolo e repositório do Github

OmniBOLT está atualmente em desenvolvimento ativo. Seu repositório Github ganhou mais de 900 estrelas. Como pode ser visto no diagrama de arquitetura, o software se concentra na construção de uma rede relâmpago em carteiras autocustodiais para dispositivos móveis.

O interessante é que os nós e canais de cada ativo formam diferentes redes lógicas e não ocupam largura de banda e recursos de computação entre si, de modo que a transação de um token não bloqueia a transação de outro token. Isso é diferente das várias soluções de rollup de camada 2 no Ethereum. Na solução de rollup, todos os ativos, contratos e transações passam por um local e a arquitetura não tem a capacidade de escalar verticalmente.

Cada canal de token forma uma rede lógica

Falando da capacidade de escalabilidade, o principal objetivo da rede da Camada 2 é resolver o problema de escalabilidade. Capacidade adicional pode ser obtida simplesmente adicionando nós. Vejamos um conjunto de dados de teste de um repositório Git OmniBOLT.

Em um computador com velocidade de E/S mais baixa, um único nó de liquidez atinge de 30 a 50 transações por segundo. Uma rede distribuída naturalmente tem capacidade de scale-up: por exemplo, adicionando 100 nós adicionais à rede, obteremos 3k ~ 5k transações por segundo, o que excedeu em muito a capacidade de processamento da Visa.

Benchmark de teste de comunidade: Um nó de liquidez pode lidar com 50 Txs por segundo, ou seja, 50 nós móveis podem enviar Txs entre si via nó de liquidez simultaneamente.

Como a implementação do OmniBOLT impulsiona o avanço do ecossistema Bitcoin?

Problema

Atualmente, embora a escala da rede Lightning esteja em constante crescimento, sua liquidez total é inferior a 0,5% do Ether em contratos DeFi[5]. Este ainda é o caso sem contar o valor de vários tokens e ativos no Ethereum. Isso mostra que a ecologia do Bitcoin ainda tem muito espaço para crescer, e precisamos de uma ferramenta para liberar esse crescimento.

Capacidade do LN e eventos cronológicos importantes. Fonte: Valquíria See More

O gráfico acima mostra que o Strike ajudou no crescimento da Lightning Network (inserção). O OBWallet lançado recentemente pela OmniBOLT também pode promover o crescimento novamente?

Uma carteira por si só não é suficiente. A capacidade de emitir e negociar com segurança vários ativos é um fator chave de crescimento. Lightning Network, OmniBOLT e Wallet fornecem suporte técnico essencial.

Pagamento

O preço do Bitcoin em si é volátil, portanto não é um meio de pagamento perfeito. A Strike oferece a sua solução. Em seu software, os usuários podem trocar moeda fiduciária por Bitcoin e, em seguida, usar o canal rápido da rede Lighting para pagar bitcoin ao beneficiário e, em seguida, trocá-lo por moeda fiduciária novamente no beneficiário. “Como o pagamento é rápido o suficiente, mudanças na taxa de câmbio não terão muito impacto”.

Mas e se uma rede de pagamento pudesse suportar diretamente um meio de pagamento estável vinculado a fiat? Ele resolverá completamente o problema de instabilidade do meio e também reduzirá muitos custos de câmbio.

Câmbio (HFT)

Por volta de 2015, a Omnilayer lançou o DEX da rede Bitcoin. No entanto, devido à alta taxa de gás na rede principal e à baixa velocidade de transação, as taxas de gás são necessárias para enviar pedidos, cancelar pedidos e fechar pedidos, por isso é difícil para o DEX da Omnilayer ser amplamente aceito. Em particular, as ordens de transmissão não podem garantir um acordo. Ou seja, embora DEX tenha a vantagem de baixo deslizamento, não tem certeza de fechamento. Este problema não foi resolvido até que o modelo AMM (Automatic Market Making) foi inventado no Ethereum, ou seja, Uniswap.

Volume de câmbio descentralizado mensal dividido pelo volume de câmbio centralizado (como uma porcentagem). Inclui as maiores exchanges com relatórios confiáveis ​​de métricas de volume de exchanges.
Fonte: https://www.theblock.co/data/decentralized-finance/dex-non-custodial/dex-to-cex-spot-trade-volume

DEX e Swap se desenvolveram rapidamente no Ethereum. No ano passado, a proporção do volume de transações para CEX oscilou nessa faixa de um mínimo de 8% para um máximo de cerca de 16%. No entanto, o Bitcoin, como o maior ativo criptográfico, é de fato excluído, e os investidores/especuladores só podem negociar bitcoin embrulhado em Swaps/DEXs, o que é insatisfatório.

O triunfo do USDT na rede Bitcoin por meio do protocolo Omnilayer demonstrou a viabilidade de realizar transações e preços Bitcoin sem a necessidade de transferências CEX (com um volume de negociação de até 20 bilhões de dólares por 24 horas). O único desafio que resta resolver é a questão da velocidade da transação, que é justamente o problema que o protocolo OmniBOLT procura resolver.

Prós, contras e o futuro

Prós

O fato de a Lightning Network poder trabalhar com tokens é essencial porque significa que ela pode ser usada para mais do que apenas Bitcoin. Tether (USDT) é um dos tokens mais importantes que funcionará com a OmniBOLT Lightning Network. Agora com o OmniBOLT, a stablecoin subiu novamente na rede Bitcoin, dando aos micropagamentos e outros usos ainda mais potencial. O USDT é uma stablecoin atrelada ao dólar americano e é um dos tokens mais usados ​​no espaço das criptomoedas. Sua capacidade de trabalhar na Lightning Network provavelmente a tornará mais útil e popular no mercado.

Espera-se que o recurso de contrato inteligente do OmniBOLT torne a Lightning Network mais flexível, o que é importante à medida que a tecnologia continua a evoluir e novos casos de uso são descobertos. Com base em provas de conhecimento zero, o recurso de contrato inteligente oferece aos usuários mais segurança e privacidade. Esse recurso é especialmente importante para tornar a rede pública Bitcoin mais verde, pois há cada vez mais preocupações sobre quanta energia ela usa. Espera-se que a capacidade da Lightning Network de oferecer suporte a micropagamentos e outros casos de uso reduza a necessidade de transações na cadeia, o que tornará a rede Bitcoin muito mais eficiente em termos de energia.

Contras

  1. Regulamentação governamental vaga. Se o regulamento não permitir a circulação de tokens, as pessoas hesitarão e não aceitarão o uso do OmniBOLT. Embora o regulamento aceite gradativamente a circulação do BTC, é muito mais cauteloso em relação às stablecoins. É por isso que os pagamentos criptográficos não podem realmente desafiar a Visa no momento.
  2. Não vi a descrição sobre a Watch Tower (talvez você possa usar a torre de observação do Lightning, porque Omnilayer Tx é essencialmente Bitcoin Tx)

Futuro

Concluindo, a Lightning Network e o OmniBOLT estão trazendo flexibilidade e acessibilidade ao espaço das criptomoedas. A capacidade da OmniBOLT Lightning Network de suportar uma variedade de tokens e contratos está permitindo maior potencial para micropagamentos, negociação de alta frequência e outros casos de uso que anteriormente não eram viáveis ​​no blockchain principal. À medida que a tecnologia continua a evoluir e novos casos de uso são descobertos, podemos esperar ver soluções ainda mais inovadoras construídas em torno da Lightning Network e OmniBOLT. O futuro das transações de criptomoeda parece realmente promissor.

Referências

[1] O que é a Lightning Network no Bitcoin e como ela funciona?,
https://cointelegraph.com/bitcoin-for-beginners/what-is-the-lightning-network-in-bitcoin-and-how-does-it-work
[2] Christian Decker, Roger Wattenhofer, Uma rede de pagamento rápida e escalável com canais de micropagamento Bitcoin Duplex,
https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-319-21741-3_1
[3] Joseph Poon, Thaddeus Dryja, A Bitcoin Lightning Network: pagamentos instantâneos fora da cadeia escaláveis, https://lightning.network/lightning-network-paper.pdf
[4] Piloto do USDT traz tokens para o Bitcoin Lightning,
https://bitcoinmagazine.com/business/usdt-pilot-brings-tokens-to-bitcoin-lightning

[5] O crescimento da Bitcoin Lightning Network é orgânico vindo da adoção no mundo real,
https://cointelegraph.com/news/bitcoin-lightning-network-growth-is-organic-coming-from-real-world-adoption

[6] OmniBOLT #6: Modelo de Criador de Mercado Automático,
https://github.com/omnilaboratory/OmniBOLT-spec/blob/master/OmniBOLT-06-Automatic-Market-Maker-and-DEX.md

o posto Omnibolt e Lightning Network: desvendando o futuro das transações de criptomoeda apareceu primeiro em CryptoSlate.

Fonte

Leave a Comment