OKex adota o sistema oficial de pagamentos rápidos do Brasil, PIX, à medida que o CBDC se aproxima

0 160

Um número crescente de trocas de criptomoedas offshore está adotando a infraestrutura de pagamentos instantâneos do Brasil, o PIX.

Em 28 de maio, a OKEx anunciou uma parceria estratégica com a empresa de pagamentos local CuboPay, permitindo-lhe facilitar as compras de Tether ($ USDT) em troca de reais brasileiros via PIX.

A notícia segue movimentos semelhantes de bolsas rivais, incluindo a plataforma ponto a ponto Localbitcoins da Crypto.com.

As integrações acontecem quando o Banco Central do Brasil, ou BCB, publica as diretrizes preliminares para uma moeda digital do banco central, ou CBDC, em 25 de maio.

O anúncio enfatiza que o CBDC operará “como uma extensão da moeda física” e tem como objetivo melhorar o sistema de pagamentos de varejo, fomentar novos modelos de negócios e fortalecer a participação do Brasil no comércio regional e global por meio do aumento da eficiência do comércio internacional transações.

A pesquisa sobre um CBDC foi autorizada como parte de um movimento mais amplo do banco central do Brasil para modernizar o setor de pagamentos do país, incluindo o lançamento do PIX em novembro de 2020. As diretrizes foram compiladas por um grupo de trabalho estabelecido para explorar um CBDC em agosto de 2020. O O BCB já havia indicado que espera desenvolver seu CBDC até 2022.

Com o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, anteriormente enfatizando o papel do PIX no apoio às suas ambições do CBDC através do fornecimento de “um sistema de pagamento instantâneo que seja eficiente e interoperável”, a resposta do BCB ao PIX sendo adotada por off-shore trocas de criptomoedas ainda está para ser visto.

Em junho de 2020, o BCB suspendeu o WhatsApp Pay para investigar os riscos impostos ao ambiente competitivo de seu setor de pagamentos, com a suspensão ocorrendo poucos meses após o banco central revelar o PIX como uma resposta à crescente popularidade dos ativos criptográficos.

Como o WhatsApp Pay só retomou as operações brasileiras no início deste mês, uma repressão ao uso do PIX para acessar ativos criptográficos ainda pode ser uma possibilidade.