Oi rebatiza negócio de fibra óptica antes de chegada do BTG Por Estadão Conteúdo

0 139

© Reuters. Oi rebatiza negócio de fibra óptica antes de chegada do BTG

Considerada peça-chave do plano estratégico da Nova Oi (SA:), a subsidiária de fibra óptica Infraco ganhou um novo nome – V.tal (fala-se Vital) – e uma nova estrutura corporativa para atuar de modo independente. A subsidiária está entrando no modo de operação solo mesmo antes da chegada dos novos sócios. Em julho, a Oi acertou a venda de uma fatia majoritária de 57,9% da subsidiária para fundos controlados pelo BTG Pactual (SA:), por R$ 12,9 bilhões. A tele permanecerá como sócia minoritária, com 42,1%. A transação aguarda aval de Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com previsão de ser concluída ainda este ano.

A partir daí, serão escolhidos os executivos para a V.tal, como o CEO. Até aqui já foram definidos o diretor comercial – Pedro Arakawa, ex-diretor de atacado da Oi – e o diretor financeiro – Alexandre Wolynec, que estava à frente de redes e tecnologia na TIM (SA:) até fevereiro.

A V.tal terá sede em São Paulo e CNPJ próprio. Para evitar confusão entre ativos e transmitir mais segurança ao mercado, está sendo montado um comitê de “neutralidade”, que terá profissionais de mercado independentes, sem ligação nenhuma com a operadora, o que vale para a própria Oi.

“Estamos começando a operação de maneira separada, com governança própria”, afirmou Arakawa, durante entrevista coletiva à imprensa. O executivo observou que os provedores regionais estão em franco crescimento e que a V.tal quer fazer parte desse mercado com a oferta de suas redes. “Os provedores independentes são veículos importantes para levar o acesso à fibra para todo o País. E, com certeza, vamos ajudar a ampliar a sua operação.”

O presidente da Oi, Rodrigo Abreu, também buscou enfatizar a mesma mensagem. “A neutralidade e a independência são garantidas desde já”, disse.

A nova empresa herda uma rede de 400 mil quilômetros de fibra óptica da Oi e contratos de cessão de infraestrutura com 260 provedores de banda larga de todo o País. A própria Oi é a maior cliente.

Ao segregar a subsidiária e buscar um sócio, a Oi buscou obter um alívio nos pesados investimentos para expansão da rede, concentrando-se na prestação do serviço de banda larga para o consumidor final.

A Oi terá algumas vantagens em seu contrato de uso de redes da V.tal pelo fato de ser um cliente- âncora, mas não por ser acionista, apontou Abreu. Entre as vantagens, está a exclusividade para uso da rede durante um certo período, para lançamento de serviços em novas regiões.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.


Receba gratuitamente o Guia Prático do Bitcoin.

Credit: Fonte

Compartilhe sua opinião.

%d blogueiros gostam disto: