É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

O que são tokens encapsulados? Como funcionam e para que servem

Compartilhe:

Em resumo

  • Tokens encapsulados são uma maneira de usar criptomoedas como Bitcoin ou Dogecoin em blockchains diferentes da blockchain em que foram originalmente construídos.
  • Os tokens encapsulados são apoiados 1:1 por seu ativo subjacente, que é armazenado em um cofre digital.
  • Tokens encapsulados são uma solução para o problema da interoperabilidade do blockchain.

Uma maneira de entender blockchains como Bitcoin e Ethereum é como bancos de dados distribuídos separados. Como as blockchains são separadas, elas não podem se comunicar facilmente umas com as outras.

Você não pode usar seu Bitcoin diretamente no Ethereum blockchain, porque apenas o blockchain do Bitcoin “sabe” que você possui Bitcoin.

Tokens encapsulados foram criados como uma solução para este problema. Com tokens encapsulados, você pode efetivamente mover ativos entre blockchains e usá-los em todo o ecossistema de criptografia.

O que são tokens encapsulados?

Tokens encapsulados são ativos que permitem que o valor de um ativo nativo de uma blockchain seja transferido para outra blockchain. Um dos tokens encapsulados mais conhecidos é o Wrapped Bitcoin (WBTC). O WBTC está atrelado 1:1 ao preço do Bitcoin (BTC), de modo que um WBTC deve sempre ser igual a um BTC. Mas, ao contrário do BTC, o WBTC está disponível como tokens ERC-20 ou TRC-20, o que significa que pode ser usado e negociado no Ethereum e Tron blockchains.

De certa forma, tokens encapsulados são semelhantes a moedas estáveis como o USDT, que acompanha o preço do dólar americano. Assim como um WBTC está atrelado ao preço de um BTC, um USDT está atrelado ao preço de US$ 1.

O que torna um token encapsulado em um token encapsulado, porém, não é apenas se ele está atrelado 1:1 ao preço de outro ativo. É a tecnologia por trás disso e a maneira como seu valor é apoiado e mantido.

Você sabia?

Em 14 de janeiro de 2021, o CoinMarketCap listou brevemente (e erroneamente) o valor de mercado do WBTC como 432 quatrilhões de dólares, ou mais de 1.000 vezes a riqueza total estimada no mundo, de acordo com o

Financial Times.

Como funcionam os tokens encapsulados?

Tokens embrulhados são criados e destruídos por um processo chamado “cunhagem” e “queima”. Para cunhar um token encapsulado como o WBTC, o ativo subjacente, neste caso o BTC, é enviado a um custodiante que armazena o BTC em um cofre digital. Uma vez que o BTC subjacente tenha sido bloqueado, uma quantidade equivalente de WBTC pode ser cunhada.

Esse processo também pode ser entendido como “embrulho”. O ativo subjacente é “embrulhado” em um cofre digital usando um contrato inteligente e um ativo recém-embrulhado é cunhado para uso em outro blockchain.

Para gravar WBTC, o mesmo processo é seguido, mas ao contrário. O WBTC é removido de circulação e a quantidade equivalente de BTC é liberada do cofre digital e permitida de volta à circulação.

Assim como a cunhagem de tokens encapsulados pode ser considerada como “embrulhar” o ativo subjacente para criar um token de valor equivalente para uso em outro blockchain, a queima de tokens encapsulados pode ser considerada como “desembrulhar” o ativo subjacente.

Esse processo de cunhagem e queima, ou empacotamento e desempacotamento, significa que todos os tokens empacotados, de WBTC a renDOGE (uma forma empacotada de Dogecoin), são lastreados por uma quantidade equivalente de sua moeda subjacente. Para cada 100 renDOGE que foram cunhados, 100 DOGE estão sendo retidos para respaldar o valor do token encapsulado.

O que há de tão especial nos tokens embrulhados?

Tokens encapsulados como WBTC oferecem interoperabilidade entre blockchains para que as pessoas podem mover ativos facilmente e aproveitar os recursos e aplicativos em outras blockchains. Essas vantagens podem ser tempos de transação mais rápidos, taxas mais baixas ou oportunidades agrícolas de rendimento.

Embora a quantidade de WBTC em circulação tenha aumentado constantemente, as pontes – uma solução que permite que você envolva seus próprios tokens para movê-los através de blockchains – estão se proliferando.

Isso vem com alguns riscos: as pontes foram alvo de vários hacks, e o criador do Ethereum, Vitalik Buterin escrevi em janeiro de 2022, que suas vulnerabilidades de segurança eram o motivo pelo qual ele é “pessimista sobre aplicativos de cadeia cruzada”.

Exemplos de tokens encapsulados

  • 🎁₿ WBTC – Projeto que envolve o BTC para uso na blockchain Ethereum; operado pelo WBTC DAO e iniciado em conjunto por Kyber, Ren e BitGo
  • 🎁Ξ WETH – Wrapped ETH, ou WETH, foi criado por um grupo de projetos executados por 0x labs e é uma versão ERC-20 do Ethereum que pode ser usado como um ativo em protocolos DeFi
  • 🐕 renDOGE – Versão embrulhada de Dogecoin que pode ser cunhada usando o RenBridge no protocolo RenVM

O futuro dos tokens embrulhados

Alcançar a interoperabilidade entre diferentes blockchains é um desafio para a indústria.

Um problema é que, à medida que mais blockchains são criados, o número de pontes necessárias para garantir que os ativos em um blockchain possam ser facilmente transferidos para todos os outros blockchains aumenta exponencialmente.

Soluções estão sendo desenvolvidas para tentar fazer a ponte de ativos entre blockchains mais fácil e eficiente. Uma maneira de fazer isso é com um hub de ponte, que se refere a uma ponte central para a qual todas as outras blockchains se conectam. Um exemplo disso é Darwiniaum hub de ponte de cadeia cruzada sendo construído no Substrate.

No futuro próximo, pelo menos, pontes e tokens encapsulados devem continuar sendo uma parte central da solução de interoperabilidade.

O melhor do Decrypt direto para sua caixa de entrada.

Receba as principais histórias com curadoria diária, resumos semanais e mergulhos profundos diretamente na sua caixa de entrada.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.