O poder hash do Bitcoin da China caiu antes da repressão: dados de Cambridge

0 89

A repressão da China à mineração de Bitcoin (BTC) devido às preocupações com o consumo de energia é amplamente considerada como o gatilho para o êxodo dos mineiros da Ásia para os países ocidentais. Mas uma nova pesquisa do Cambridge Center for Alternative Finance sugere que a mudança no poder de mineração começou antes do novo escrutínio da China.

A Reuters relatou que o poder total de computação da China conectado à rede Bitcoin, ou taxa de hash, caiu de 75,5% em setembro de 2019 para 46% em abril de 2021, antes mesmo de o país asiático anunciar oficialmente a repressão à mineração.

Durante o mesmo período de 18 meses, os Estados Unidos quadruplicaram sua participação na taxa global de hash do Bitcoin de 4% para 16,8%, tornando-se o segundo maior produtor de Bitcoin. Outro país frequentemente citado como um destino potencial para a realocação de mineiros, o Cazaquistão, aumentou sua participação para 8% e se tornou o principal produtor de Bitcoins.

Depois de passar por grandes quedas de energia no centro de mineração de Xinjiang em abril, as autoridades chinesas começaram a investigar o consumo de energia envolvido na mineração de Bitcoin. As autoridades anunciaram uma supervisão estrita das atividades de mineração devido às preocupações com o carbono, desencadeando a realocação de vários mineiros industriais para fora da China.

Relacionado: proibição de mineração de Bitcoin uma decisão fácil para a China, diz parceiro da Bitmain EMEA

Chamando a proibição de mineração da China de um inconveniente temporário, o CEO da iMining, Khurram Shroff, disse que a localização diversificada das instalações de mineração é uma ótima notícia para o resto do mundo. “A Bolsa de Valores de Toronto listou recentemente o primeiro Bitcoin ETF do mundo”, exemplificou ele, “[Canada] já está à frente da curva, em termos de disseminação de criptomoedas. ”

Alguns especialistas veem a repressão da China à mineração de Bitcoin como uma decisão fácil. O parceiro EMEA da Bitmain disse recentemente à Cointelegraph que o país é obrigado a reduzir sua pegada de carbono para obter financiamento do Fundo Monetário Internacional ou do Banco Mundial e a mineração de Bitcoin era uma meta conveniente para minimizar o consumo de energia.