ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

O CEO da Riot afirma que a Bitfarms não está agindo no melhor interesse dos acionistas em meio à rejeição da aquisição

Riot Bitcoin.jpg

Compartilhe:

Plataformas de motim anunciado uma proposta para adquirir a Bitfarms por US$ 2,30 por ação. Esta aquisição criaria o maior Bitcoin listado publicamente do mundo mineiro, entregando valor substancial aos acionistas. A Riot já adquiriu uma participação de 9,25% na Bitfarms, tornando-se sua maior acionista, e planeja solicitar uma reunião especial de acionistas da Bitfarms para adicionar novos diretores independentes ao seu conselho.

A proposta representa um prêmio de 24% sobre o preço médio ponderado pelo volume de um mês das ações da Bitfarms em 24 de maio de 2024, e um prêmio de 20% sobre o preço das ações em 19 de abril de 2024. A contraprestação consiste em dinheiro e ações ordinárias da Riot , potencialmente permitindo que os acionistas da Bitfarms possuíssem aproximadamente 17% da empresa combinada. Esta proposta foi entregue de forma privada em 22 de abril, mas foi rejeitada pelo Conselho da Bitfarms sem um diálogo substantivo.

A Riot argumenta que a combinação das empresas criaria benefícios estratégicos e financeiros significativos, incluindo uma empresa de mineração de Bitcoin verticalmente integrada com cerca de 1 GW de capacidade de energia atual e 19,6 EH/s de capacidade atual de automineração, expandindo para 1,5 GW e 52 EH/s até o final do ano. Essa escala posicionaria a entidade combinada como a maior empresa de mineração de Bitcoin do mundo.

A combinação aumentaria a diversificação geográfica, com 15 instalações nos Estados Unidos, Canadá, Paraguai e Argentina, oferecendo até 2,2 GW de capacidade energética quando totalmente desenvolvidas. O perfil financeiro robusto da Riot, incluindo mais de US$ 700 milhões em dinheiro e dívida corporativa mínima, apoiariam os planos de crescimento da Bitfarms e melhorariam o acesso aos mercados de ações públicas.

Benjamin Yi, presidente executivo da Riot, enfatizou o ajuste estratégico e o potencial de crescimento, ao mesmo tempo em que expressou decepção com a rápida rejeição da proposta pela Bitfarms. O CEO Jason Les levantou preocupações sobre a governança da Bitfarms, citando a demissão abrupta de seu CEO e as alegações relacionadas como sinais preocupantes.

“Estamos profundamente preocupados que os fundadores do Conselho da Bitfarms – Nicolas Bonta e Emiliano Grodzki – possam não estar agindo no melhor interesse de todos os acionistas da Bitfarms. A rescisão abrupta do CEO da Bitfarms sem um plano de transição em vigor[…] levantar sérias questões de governança.”

A proposta, aprovada por unanimidade pelo Conselho de Administração da Riot, não é vinculativa e está sujeita às condições habituais. O consultor financeiro da Riot é o Citi, e seus consultores jurídicos são Paul, Weiss, Rifkind, Wharton & Garrison LLP e Davies Ward Phillips & Vineberg LLP. A Riot afirma continuar comprometida em buscar esta aquisição, com o objetivo de criar uma empresa líder em mineração de Bitcoin com capacidades operacionais e financeiras aprimoradas.

Mencionado neste artigo

Fonte

Leave a Comment