ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Kraken e os principais participantes da indústria co-fundaram o Blockchain Security Standards Council, uma organização sem fins lucrativos

Kraken Blockchain Security.jpg

Compartilhe:

Kraken anunciou que foi cofundadora do Blockchain Security Standards Council (BSSC) com vários outros grandes participantes do setor para aumentar a segurança no setor de criptomoedas.

Os outros cofundadores incluem Âncora Digital, Coinbase, Blocos de fogoBastion, Figment, Halborn, OpenZeppelin, Ribbit Capital e Sentinel Global.

Segurança orientada por consenso

A organização sem fins lucrativos tem como objetivo criar padrões de segurança uniformes em todo o setor de criptomoedas, abordando ameaças urgentes à segurança, como fraudes, ataques cibernéticos de estados-nação e exploração de protocolos.

A missão do conselho é desenvolver parâmetros de segurança baseados em consenso e um processo de auditoria robusto até o final de 2024. Espera-se que esses esforços fortaleçam a estrutura de segurança do setor e aumentem a confiança nos ativos digitais.

O diretor de segurança da Kraken, Nick Percoco, enfatizou a importância dessas iniciativas, afirmando:

“Padrões de segurança voluntários são cruciais para o amadurecimento da indústria de cripto. Esforços colaborativos entre os participantes da indústria para fortalecer o ecossistema geral aumentarão a confiança nos criptoativos. A Kraken tem orgulho de contribuir para o desenvolvimento desses padrões essenciais.”

A BSSC também planeja se envolver com reguladores e formuladores de políticas para garantir o desenvolvimento de padrões de segurança equilibrados e eficazes. Esse envolvimento proativo visa proteger os consumidores enquanto promove a inovação dentro do ecossistema blockchain.

O envolvimento da Kraken no BSSC reflete seu compromisso contínuo com a segurança, seguindo seu papel no estabelecimento do Crypto Information Sharing and Analysis Center (ISAC). O ISAC facilita o compartilhamento de conhecimento e as melhores práticas em todo o setor de criptomoedas, visando reduzir os riscos de segurança cibernética e aumentar a resiliência geral do setor.

A formação do BSSC é vista como um passo significativo para abordar o trilema do blockchain, que envolve equilibrar descentralização, segurança e escalabilidade. Ao focar em padrões de segurança, o BSSC visa mitigar riscos enquanto apoia o crescimento e a escalabilidade das redes blockchain.

Drama do chapéu branco

A medida ocorre após a recente disputa da Kraken com a empresa de segurança de blockchain CertiK.

Em junho, a exchange encontrou um grande desafio de segurança quando a empresa de segurança de blockchain CertiK descobriu uma vulnerabilidade crítica em seu sistema. Essa falha permitiu que invasores iniciassem depósitos e recebessem fundos sem concluir o processo de depósito, permitindo efetivamente a criação de ativos do nada.

A CertiK explorou essa vulnerabilidade para sacar US$ 3 milhões das contas da Kraken, o que levou muitos a alegarem que os saques eram excessivos demais para fins de teste.

Kraken também acusou CertiK de extorsão, argumentando que a empresa exigiu pagamento pela devolução dos fundos, desviando-se dos protocolos padrão de bug bounty. A bolsa criticou a abordagem de CertiK, alegando que manteve os fundos como reféns e agiu de forma pouco profissional.

No entanto, a CertiK negou qualquer intenção maliciosa, afirmando que suas ações foram preventivas e visavam proteger a plataforma. Ela alegou que as ameaças da Kraken aos funcionários da CertiK eram injustificadas e enfatizou que havia se oferecido para devolver os fundos, mas a exchange não havia fornecido um endereço de carteira.

A disputa foi resolvida depois que ambas as empresas tornaram públicas suas posições, e a CertiK devolveu os fundos para endereços que tinha em mãos.

Mencionado neste artigo

Fonte

Deixe um comentário