Google quer ser seu novo banco

0 1.279

Não é apenas a Apple e o Facebook que mergulham de cabeça no mundo financeiro. O Google revelou planos para oferecer contas correntes em 2020 por meio de um projeto chamado Cache.

O Google fará as coisas à sua maneira. Em uma união com o CitiGroup e o Stanford Federal Credit Union, a companhia oferecerá contas-correntes gerenciadas pelo app de pagamentos Google Pay.

Rivais como o Facebook já estão enfrentando problemas por seus planos financeiros – o Google pode encontrar mais do mesmo. Combine isso com as investigações antitruste em andamento e o Google pode ter que se esforçar para provar que suas contas correntes ajudarão mais do que prejudicam.

Mas a Google não se tornará uma instituição bancária por si só. Todas as operações e responsabilidades sobre o dinheiro e suas operações estarão com os bancos parceiros. Nesse negócio, a empresa finalmente competirá no setor, fortalecerá seu ecossistema e, por fim, recolherá dados.

O Google promete que não venderá os dados financeiros dos titulares de contas. Em vez disso, isso visa agregar valor aos clientes, lojas e aos próprios bancos com serviços como programas de fidelidade. Em uma conversa com o Wall Street Journal, Caesar Sengupta da empresa também o apresentou como uma maneira de digitalizar ainda mais o mundo bancário. “Se pudermos ajudar mais pessoas a fazer mais coisas de maneira digital … é bom para a internet e para nós“, disse ele.

O Google provavelmente não divulgará o Google Cache como um produto próprio. A marca deve se apresentar como uma parceira das companhias citadas para a criação do serviço, então trabalhará nos bastidores com o Google Pay e na coleta de dados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.