É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

Giorgia Meloni fala após boca de urna indicar vitória nas vitórias na Itália

GettyImages-1426334197-e1664166777844.jpg

Compartilhe:

Às 2h30 (horário local) chegou o momento que os militantes do partido de direita “Irmãos da Itália” esperavam, quando seu líder Giorgia Meloni apareceu no hotel de luxo em Roma que abriga sua sede eleitoral.

Um político longo aumentou quando ela começou a falar, lembrando os problemas feitos aos anos, quando o partido passou de um grupo marginal de extrema-direita para se tornar a força forte da força Itália nas amor de domingo (25).

“Para muitos de nós, esta é uma noite de orgulho, redenção, lágrimas, abraços, sonhos e memórias”, disse Meloni a membros do partido e repórteres, diante do controverso logotipo da chama do partido.

Ela pontua que a imagem representa a evolução da direita italiana, enquanto os críticos avaliam que é um vestígio do antigo “Movimento Social Italiano” (MSI), que usava o mesmo símbolo.

“Este é um ponto de partida, não uma linha de chegada, a partir de amanhã temos que provar nosso valor”, destacou, emocionada, a.

O Irmãos da Itália tem suas raízes no pós-fascista MSI, considerado um pária político pelo convencional do país até ser calculado, em meados da década de 1990.

Mas isso está no passado. Segundo projeções, Meloni ganhou cerca de 26% dos votos na eleição de domingosubindo em relação à eleição de 2018, quando conseguiu 4%.

O bloco de direita que ela lidera é apontado como as casas vencedoras de uma maioria confortável ambas as do Parlamento, abrindo caminho para a primeira mulher que ela se tornou a primeira-ministra da Itália.

“É um sonho”, afirmou Fabio Rampelli, fundador do partido, à Reuters enquanto abraçava um ativista emocionado queu apoio para ele a única “finalmente!”.

Marco Marsilio, presidente dos Irmãos da Itália na região central de Abruzzo, observou por esse momento toda a sua vida. “Há 20 ou 30 anos, isso parecia loucura, esperemos que Deus nos perdoe por essa loucura”, disse ele à Reuters.

A extrema-direita tem seus redutos históricos no Centro e no Sul da Itália, mas alguns de seus militantes vêm de regiões com tradição de esquerda.

Para eles, a vitória é ainda mais especial.

Giovanni Donzelli nasceu na Florença de esquerda e ingressou na direita em 1994, quando tinha 19 anos.

“No dia seguinte à minha adesão ao movimento universitário de direita… voltei para casa para contar à família. Meu avô socialista e minha mãe de esquerda não reagiram bem. Minha mãe começou a chorar, meu avô engagou com a comida”, recorda.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *