Exchange perde US $ 137 milhões com fundador levando senhas para o túmulo.

Os responsáveis da QuadrigaCX tentam hackear o laptop criptografado na esperança e acessar a carteira fria.

0 861

Uma Exchange de criptomoedas no Canadá perdeu o controle de pelo menos US $ 137 milhões dos ativos de seus clientes após a morte súbita de seu fundador, que era a única pessoa conhecida por ter acesso à carteira off-line que armazenava as moedas digitais. 

“Exchange não é carteira”.

Como reportamos recentemente, a QuadrigaCX, com sede na Colúmbia Britânica, não tem mais acesso a quase todos os outros US $ 53 milhões porque está envolvida em disputas com terceiros.

O passo em falso dramático foi relatado em um depoimento juramentado que foi obtido. O depoimento foi apresentado na quinta-feira por Jennifer Robertson, viúva do diretor da QuadrigaCX, Gerry Cotten. Robertson declarou que Cotten morreu de doença de Crohn na Índia em Dezembro, aos 30 anos de idade.

Seguindo as práticas de segurança padrão de muitos detentores de criptomoeda, a QuadrigaCX armazenou a grande maioria de seus ativos de criptomoedas em uma “carteira fria”, uma carteira digital que não estava conectada à Internet. A medida é projetada para prevenir hacks que drenam regularmente carteiras quentes de milhões de dólares.

O pedido judicial de quinta-feira, no entanto, demonstra que as carteiras frias não são, de maneira alguma, uma maneira infalível de garantir moedas digitais. Robertson testemunhou que Cotten armazenou a carteira fria em um laptop criptografado que só ele poderia descriptografar.

Com base nos registros da empresa, ela disse que a carteira fria armazenou US $ 180 milhões em dólares canadenses (US $ 137 milhões em dólares americanos), todos atualmente inacessíveis à QuadrigaCX e a mais de 100.000 clientes.

“O computador laptop do qual Gerry conduziu o negócio das empresas é criptografado e eu não sei a senha ou a chave de recuperação”, escreveu Robertson. “Apesar das repetidas e diligentes buscas, não consegui encontrá-las escritas em parte alguma”.

Caça ao tesouro.

A viúva chegou a dizer que contratou especialistas para tentarem descriptografar o laptop. Um dos especialistas “fez o perfil de Gerry e tentou invadir os computadores de Gerry. Além disso, uma chave USB criptografada foi fornecida ao especialista, que ainda não pôde ser acessado”.

O especialista acrescentou, que já acessou as contas de e-mail pessoais e de trabalho de Cotten e agora está tentando obter acesso a uma conta de e-mail criptografada. Cotten também usou um sistema de mensagens criptografadas, mas as chances de ler com sucesso as comunicações parecem fracas, porque segundo o especialista, “as mensagens desapareceriam do sistema de mensagens criptografadas após um curto período”.

A carteira fria mal administrada é apenas um dos problemas que assedia a QuadrigaCX. Diferenças com pelo menos três parceiros terceirizados atrelaram a maioria ou a totalidade dos US $ 53 milhões adicionais em ativos. Para piorar a situação, muitos clientes da QuadrigaCX continuaram a fazer transferências automáticas para o serviço após a morte de Cotten.

Na segunda-feira, o site ficou inacessível com poucas explicações, exceto por essa atualização de status, que foi posteriormente retirada. Na quinta-feira, QuadrigaCX disse que iria pedir proteção ao credor enquanto trabalhava para recuperar o controle de seus ativos. Até quinta-feira, o site contava com 115 mil clientes com saldo em aberto.

O desastre deveria ser impensável para qualquer instituição financeira, mas, infelizmente, é apenas um dos muitos problemas semelhantes que atingiram um câmbio de criptomoedas nos últimos anos. A advogada, educadora Pamela Morgan, escreveu um artigo em 2015 delineando as etapas de preparação para desastres que os detentores de criptomoedas devem tomar para garantir que eles possam recuperar tokens digitais quando ocorrerem eventos inesperados.

Com base no testemunho jurado de Robertson, é uma boa aposta que a QuadrigaCX não seguiu nenhuma destas boas práticas. É uma aposta igualmente boa que a maioria das bolsas concorrentes também não. E isso levanta questões sobre o julgamento de pessoas que continuam a confiar seus fundos a esses serviços.

Fonte newsbtc

Compartilhe sua opinião.

%d blogueiros gostam disto: