ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

EUA cancelam pesquisa de emergência sobre mineração de Bitcoin em meio a disputas legais

A 37b5f2.jpg

Compartilhe:

O Departamento de Energia dos EUA (DOE) e a Administração de Informação de Energia (EIA) cancelou sua pesquisa de emergência do uso de energia pela mineração de Bitcoin após uma ação judicial de grupos industriais, relataram a Reuters e outros meios de comunicação. Esta mudança ocorre em meio a um crescente escrutínio sobre o consumo de energia da mineração de criptomoedas e seu impacto potencial no meio ambiente e na estabilidade da rede elétrica.

Indústria alega falta, cita preocupações legais

Riot Platforms, uma empresa de mineração de Bitcoin de capital aberto, e o Texas Blockchain Council entrou com a ação, argumentando que a pesquisa ignorou os requisitos legais para comentários públicos e procedimentos de coleta de dados descritos na Lei de Redução da Papelada. Os demandantes alegaram que a EIA não conseguiu demonstrar como era necessário contornar estes procedimentos para evitar “danos públicos”, um pré-requisito para a recolha de dados de emergência.

Kara Rollins, representando os demandantes, disse à Fortune:

“Ficamos chocados ao ver como a lei foi flagrantemente ignorada aqui… Não queremos que a política infecte os dados.”

A EIA, no entanto, argumentou que a urgência do assunto justificava ignorar os procedimentos padrão, alegando que a mineração de Bitcoin “potencialmente perturbou a indústria de energia elétrica”.

Mineração de Bitcoin e o debate sobre energia

A mineração de Bitcoin, o processo de verificação e adição de transações ao livro-razão do blockchain, depende de computadores complexos que resolvem problemas matemáticos complexos. Este processo requer quantidades significativas de eletricidade, levantando preocupações sobre o seu impacto ambiental e a potencial tensão na rede elétrica.

Bitcoin is now trading at $61.780. Chart: TradingView.com

As estimativas iniciais da EIA sugerem que a mineração de Bitcoin pode representar entre 0,6% e 2,3% do consumo anual total de eletricidade nos EUA. Embora a indústria argumente que isto é comparável a estados individuais como Utah e Washington, grupos ambientalistas como a Earthjustice argumentam que contribui para as emissões de gases com efeito de estufa e aumenta os custos de electricidade para os consumidores.

No Texas, um importante centro de mineração de Bitcoin, Wood Mackenzie relata que a indústria já aumentou os custos de eletricidade para residentes não mineiros em cerca de US$ 1,8 bilhão anualmente. No entanto, a indústria argumenta que os centros de dados podem, na verdade, beneficiar a estabilidade da rede, oferecendo uma procura flexível, permitindo-lhes encerrar rapidamente as operações durante horas de ponta ou emergências.

Coleta de dados transparente: um caminho a seguir

O DOE e a EIA concordaram em destruir quaisquer dados recolhidos através do inquérito inicial e, em vez disso, prosseguirão com uma versão não emergencial com um período de comentários públicos de 60 dias. Esta abordagem revista alinha-se com a Lei de Redução da Papelada e permite um envolvimento mais amplo das partes interessadas.

Embora o processo tenha desafiado com sucesso a abordagem inicial, o incidente destaca a necessidade de uma recolha transparente de dados e de um diálogo aberto para abordar as implicações ambientais e económicas da mineração de Bitcoin. A recolha de dados precisos através do inquérito revisto será crucial para o desenvolvimento de políticas e regulamentos informados no futuro.

Imagem em destaque do Pexels, gráfico do TradingView

Fonte

Leave a Comment