ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Estudante flagrado filmando alunas no banheiro da faculdade de São Paulo é solto

Presoestudante.jpg

Compartilhe:

A Justiça de São Paulo concedeu liberdade provisória ao estudante Gabriel Valareto Vicente Silva, de 20 anos, que havia sido preso na noite de quinta-feira (15) ao ser flagrado filmando escondido uma aluna no banheiro da universidade Anhembi Morumbi da Mooca, zona leste da capital paulista.

O celular dele foi compreendido e vai passar por perícia. Ele foi liberado após o pagamento da fiança fixada em dois períodos mínimos (equivalente a R$ 2.640).

Na audiência de custódia, a Justiça determinou que o suspeito deverá cumprir algumas medidas cautelares:

  • Comparecimento bimestral em juízo para informar e justificar suas atividades;
  • Obrigação de manter o endereço atualizado na vara competente, informando imediatamente uma eventual alteração;
  • Proibição de ausentar-se do endereço residencial por mais de oito dias sem comunicação prévia ao juízo;
  • Proibição de frequentar o banheiro “Para todos” da Universidade Anhembi Morumbi, campus Mooca, caso a instituição lhe permita continuar a frequentar o curso;
  • Proibição de manter qualquer tipo de contato com as vítimas, por qualquer meio de comunicação e mesmo por intermediário de terceiros, sob pena de revogação do benefício e recolhimento imediato à prisão;
  • Pagamento de fiança arbitrada em dois salários mínimos.

Em nota, a advogada de Gabriel, Camila Casco Barbosa, afirmou que a defesa segue comprometida com a verdade e com o esclarecimento dos fatos.

“Seguiremos aguardando a conclusão da experiência a ser realizada no aparelho de celular, bem como as demais questões processuais. A defesa seguirá comprometida com a verdade e o esclarecimento dos fatos. Por hora, é o que resta esclarecer e informar”, dizem os advogados.

A CNN entrou em contato com a defesa das vítimas, que optou por não se manifestar.

Em nota, a universidade Anhembi Morumbi lamentou e repudiou o ocorrido.

“Como instituição de ensino, atuamos na promoção da formação crítica, cidadã e consciente da comunidade acadêmica, formando não apenas profissionais, mas indivíduos em sua integralidade e, por esse motivo, repudiamos toda e qualquer conduta contrária às normas legais e da própria Instituição” .

Uma instituição afirmou estar “adotando as providências cabíveis, tanto internamente, quanto junto às autoridades competentes”, além de prestar apoio às vítimas.

Fonte

Deixe um comentário