É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

Projeto Terra (LUNA) entra em Espiral da Morte e aumentar pressão de venda sobre o Bitcoin.

Projeto Terra (LUNA) entra em Espiral da Morte e aumentar pressão de venda sobre o Bitcoin.

Compartilhe:

O Bitcoin retoma na manhã desta terça-feira (10) o patamar de US$ 31 mil após flertar com a mínima de 2021 ao atingir menos de US$ 30 mil na noite de ontem em mais um dia marcado pelo sell-off global de ativos de risco em meio a incertezas quanto à retomada econômica mundial e o comportamento das taxas de juros.

“Muitas pessoas estão retornando aos comportamentos de compra offline, prejudicando o comércio eletrônico e as ações de tecnologia que tiveram o melhor desempenho durante os lockdowns”, afirma Mark Lurie, o CEO da plataforma de negociação de criptos Shipyard Software.

LUNA se encontra em Espiral da Morte.

Além dos fatores macroeconômicos, uma dinâmica própria do mercado cripto ajudou a pressionar o preço do Bitcoin. Em meio à tentativa de salvar a paridade da stablecoin Terra USD (UST), o projeto Terra (LUNA) liquidou US $850 milhões em Bitcoin de suas reservas e contribuiu para aumentar a pressão de venda sobre a moeda digital.

A UST havia entrado no que se chama de “espiral da morte”, cenário que envolve uma queda sistemática de um ativo em meio a um momento de pânico no mercado. Nesse caso, investidores começaram a resgatar valores antes convertidos em UST com o receio de que a stablecoin perdesse a paridade com o dólar. Com isso, o sistema passou a emitir mais tokens Luna, derrubando seu preço – o ativo, porém, era quem sustentava a paridade da stablecoin.

Binance ativa circuit breaker.

Com medo de também ficarem no prejuízo, investidores da Luna começaram a liquidar suas posições, enfraquecendo ainda mais o combustível da paridade e causando o que os usuários temiam: após a Luna despencar mais de 50%, a UST desabou de US$ 1 para US$ 0,60 na noite de segunda-feira (9).

A instabilidade obrigou a exchange Binance a interromper saques de Luna e UST, em uma espécie de circuit breaker – em certo momento, usuários relataram que os livros de ordens da exchange no par UST/USDT ficaram vazios. Após a UST recuperar o patamar de US $0,90 nesta manhã, as retiradas foram restabelecidas.

No total, traders somaram um prejuízo próximo de US $1 bilhão. A maior parte das perdas (US $793 milhões) foi proveniente de usuários que tentavam acertar o fundo de mercado abrindo posições compradas com alavancagem.

Bitcoin continuará em queda até novembro.

Apesar da noite turbulenta, analistas acreditam que a queda não deve ter terminado.

A recente queda das criptomoedas é estritamente baseada no sell-off de ações de tecnologia e não em fundamentos de cripto. O momento de baixa pode levar o Bitcoin para o nível de US$ 28.500, mas pode começar a ser onde algumas apostas de longo prazo entram em jogo”, afirma o analista sênior da Oanda, Edward Moya, que ressalta que os fundamentos de longo prazo da criptomoeda permanecem, embora possa demorar até que atinja novas máximas.

“Se o Fed continuar a aumentar as taxas até junho e julho, provavelmente continuaremos a ter os mercados caindo durante todo o verão [do hemisfério Norte]. Minha expectativa é que, devido às eleições de meio de mandato em novembro, provavelmente veremos o Fed pausando ou até baixando as taxas a partir da reunião de setembro, então esse será o catalisador. Podemos ver o mercado voltando a subir nesse ponto”, aponta Steven McClurg, diretor de investimentos e cofundador da Valkyrie.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.