ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Enchentes no Afeganistão matam ao menos 300 pessoas

2024 05 11t102157z 1 Lop174811052024rp1 Rtrmadp Baseimage 960x540 Afghanistan Floods Update.jpg

Compartilhe:

Pelo menos 300 pessoas morreram nas enchentes que devastaram o norte do Afeganistão nos últimos dias, disse o Word Food Program, no domingo (12).

As províncias de Badakhshan, Ghor, Baghlan e Herat sofreram fortes inundações, que também danificaram quase 2.000 casas, disse um oficial de comunicações da agência da ONU.

“As inundações repentinas devastaram o Afeganistão, matando mais de 300 pessoas em Baghlan e destruindo mais de 1000 casas”, disse o PAM numa publicação na rede social X. “Esta foi uma das muitas inundações nas últimas semanas, devido a chuvas fortes”.

O Comité Internacional de Resgate (IRC), está a apresentar a sua resposta de emergência às inundações que abrangem sete províncias, e disse que “milhares” de pessoas ficaram retidas sem acesso aos serviços.

“Estas últimas inundações causaram uma grande emergência humanitária no Afeganistão, que ainda sofreu com uma série de terremotos no início deste ano, bem como com graves inundações em março”, disse a diretora do IRC Afeganistão, Salma Ben Aissa.

“As comunidades perdidas famílias inteiras e, como resultado, os meios de subsistência foram dizimados”, disse ela.

Mais de metade das 600 mil pessoas afetadas pelas cheias são crianças, informou a Save the Children em um comunicado. Acrescentou também que irá enviar uma “'clínica sobre rodas' com equipes móveis de saúde e proteção infantil para apoiar as crianças e as suas famílias”.

No sábado, um vídeo capturado pela agência de notícias Reuters mostrou pessoas enterrando os mortos na província de Baghlan. Um homem chamado Gulbudeen falou sobre a perda de vários membros da família nas enchentes.

“Perdi cinco membros da minha família, dois filhos, duas filhas e a mãe deles. Estávamos do outro lado da enchente, mas não pudemos ajudá-los e, eventualmente, a enchente tomou a vida de nossos entes queridos”, contou ele.

Moradores da aldeia de Laqayi, também em Baghlan, buscaram limpar os rios de lama fora de suas casas no sábado (11), mostraram um vídeo filmado pela agência de notícias AFP. Eles puderam ser vistos atravessando as poças profundas da lama que causaram grandes danos às habitações.

O governante Talibã relatou o “grave número de vítimas” causado pelas enchentes em um comunicado publicado no sábado na rede social X pelo porta-voz Zabihullah Mujahid.

“Lamentavelmente, centenas dos nossos cidadãos sucumbiram a estas inundações calamitosas, enquanto um número substancial sofreu ferimentos. Além disso, o dilúvio causou uma devastação extensa em propriedades residenciais, resultando em perdas financeiras significativas”, disse Mujahid.

O Talibã encarregou o seu Ministério do Interior, o Ministério de Gestão de Desastres e as autoridades locais de “usar todos os recursos disponíveis” para resgatar os presos, recuperar os cadáveres e fornecer tratamento médico aos feridos, acrescentou Mujahid.

As inundações repentinas somam-se a uma série de desastres naturais recentes que a região teve de suportar.

Em abril, chuvas fora de época e inundações mataram mais de 100 pessoas no Afeganistão e no Paquistão, segundo as autoridades. Mais de 600 animais também morreram.

As inundações repentinas também varreram bolsas de pessoas no Afeganistão em julho, menos de três meses antes de milhares de pessoas terem sido mortas por um poderoso terramoto de magnitude 6,3 que atingiu a parte ocidental do país.

Fonte

Leave a Comment