ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

É reduçãoso que Paulo Guedes anunciou em aposentadorias

22 10 22 Capa04 Captura De Tela 2022 10 22 225222.png

Compartilhe:

Enganoso: É enganoso que o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que retiros e outros benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) não vão mais ser reajustados pela inflação a partir de 2023. A alegação enganosa foi feita pelo deputado federal André Janones ( Avante-MG) em vídeo publicado no Instagram e no Twitter. Paulo Guess tem uma proposta para ser corrigida, que os benefícios têm uma proposta para ser corrigidos, que os benefícios passaram da inflação do ano atual. O projeto, entretanto, não foi formalmente apresentado.

Conteúdo investigado: Vídeo não qual o deputado federal André Janones (Avante-MG) relaciona estar saindo de uma reunião no Ministério da Economia, em Brasília. Ele afirma que o ministro titular da pasta, Paulo Guedes, anunciou que não houve redução dos valores pelos INSS e outros benefícios pagos a partir de 2023. , medida atual utilizada para fazer o cálculo.

Onde foi publicado: Instagram e Twitter.

Conclusão do Comprova: O ministro Paulo Guedes não anunciou redução do reajuste nos valores das renúncias e outros benefícios pagos pelo INSS a partir de 2023, como vídeo do deputado federal André Janones.

Na verdade, a pasta pretende apresentar uma proposta, Jair Bolsonaro (PL) seja reeleito, para mudar a forma de Cálculo do reajuste dos benefícios. Com a medida, o salário mínimo e os benefícios pagos pelo INSS deixariam de ser reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação, e passariam a ser reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ou pela economia da inflação do ano seguinte. A medida, se implantada, poderá diminuir o valor anual de reajuste dos benefícios.

Como medida de alteração da Constituição, ela precisaria ser apresentada em forma de Emenda de Emenda (PEC) e para que seja aprovada a Proposta é necessária que três quintos dos votos votem a favor em dois turnos em cada Casa do Congresso.

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: Até o dia 21 de outubro, o vídeo tinha 1,5 milhão de visualizações, 103 mil curtidas e 12,7 mil comentários no Instagram. No Twitter, foram 87 mil visualizações, 6.4500 comentários, 1,1 mil curtidas, 27,2 compartilhamentos de compartilhamentos.

O que diz o responsável pela publicação: O Comprova fez contato com a assessoria do deputado federal André Janones, autor do vídeo. Até o fechamento do texto, ele não havia retornado.

Como verificamos: Procuramos por conteúdos relacionados com a aposentadoria e outros benefícios, além do nome de Paulo Guedes, ministro da Economia. Uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo que detalha a proposta de Guedes, mas em nenhum momento dá a medida como concretizada.

Ainda entre em contato com as assessorias de imprensa do Ministério da Economia e do representante federal André Janones. o fechamento do texto, ambos não foram respondidos.

Paulo Guedes tem proposta de mudança no reajuste da aposentadoria

Na quarta-feira (19), o jornal Folha de S.Paulo Matéria que teve acesso a trechos de uma proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, a ser apresentada no caso de reeleição de Jair Bolsonaro. O documento, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), teria o objetivo de reformular ou teto de gastos e frear o crescimento de despesas, como é o caso dos benefícios previdenciários. Para que uma PEC aprovado sejaé necessário que seja ela quinto candidato e votada em dois turnos na Câmara e no Senado, além de ter três votos dos deputados (308) e dos senadores (49).

Hoje, os benefícios previdenciários são reajustados anualmente de acordo com o INPC, que também mede a inflação. Além disso, o seguro do INSS não pode receber um valor menor do que o salário mínimo vigente.

Com a proposta de os benefícios, deixarão de ser fixados à fixação do ano anterior e fixados pela atualização da execução do ano corrigido. O mesmo aconteceria com o salário mínimo. Com isso, há a possibilidade de que o reajuste seja menor do que a inflação. Outra proposta é parar de usar o INPC e passar a usar o IPCA, que costuma ser menor.

Em 2021, o INPC teve alta de 10,16%, já o IPCA, 3,5%. Ou seja, caso a proposta já fosse válida, o salário mínimo de 2022 ficaria em R$ 1.138,50. Pelo INPC, o valor reajustado foi de R$ 1.212. A previsão do INPC para 2022 é de 4,97%, de acordo com o último Boletim Focus, do Banco Central do Brasil. Esse fosse o índice usado para o reajuste, o salário mínimo ficaria em R$ 1.154.

Após a repercussão da proposta, nesta quinta-feira (20), Paulo Guedes disse que os reajustes da aposentadoria e do salário mínimo estão para próximo ano. “O jogo está. É claro que agora em janeiro, os aposentados e o salário mínimo foram corrigidos pelo menos igual à inflação”, afirmou. Ele confirmou a intenção de alterar o teto de gastos, mas disse que a medida não terá impacto em aposentados e pensionistas.

Por que investigamos: O Comprova conteúdo investiga suspeitos suspeitos sobre a pandemia do governo federal e as políticas presidenciais que viralizam redes sociais nas. Publicações falsas ou enganosas podem induzir a interpretação equivocada da realidade e administrar no momento da votação. Os cidadãos de base escolhem as suas verdadeiras informações e escolhem-nos.

Outras checagens sobre o tema: Em checagens nos últimos dias, o Comprova mostrou que militantes não invadiram igreja em JoinvilleThat Grupo Se Bolsonaro Por Investigação Para Votos Para Votos Para Alagoase explicado o que se sabe sobre o Caso Celso Daniel.

Investigado por: Correio Braziliense e GaúchaZH; Verificado por: Estado de Minas, Plural Curitiba, Estado de S.Paulo, CBN Cuiabá, A Gazeta, Metrópoles, Imirante.com, O Dia e Correio

Fonte

Leave a Comment