dólar opera em baixa, em sessão com apetite de risco com ômicron Por Estadão Conteúdo

0 15

© Reuters. Moedas globais: dólar opera em baixa, em sessão com apetite de risco com ômicron

O operou em baixa nesta quarta, 22, ante a maioria das moedas, em sessão marcada por um maior apetite por ativos de risco no mercado. Além da variante ômicron do coronavírus, que segue sendo avaliada, assim como potenciais vacinas e tratamentos para a covid-19, a divulgação de indicadores, especialmente os PIBs nos Estados Unidos e no Reino Unido tiveram atenção durante o dia.

O índice , que mede o dólar ante seis rivais recuou 0,43%, a 96,076. No fim da tarde em Nova York, avançava a US$ 1,1335 e a libra tinha alta a 1,3360, enquanto do dólar subia a 114,21 ienes.

Hoje, o índice de confiança do consumidor americano subiu de 111,9 em novembro para 115,8 em dezembro, acima da previsão de analistas, que projetavam 110,0. Outro dado que superou previsões foi o PIB dos EUA, que registrou crescimento de 2,3% no terceiro trimestre de 2021, acima da leitura anterior de 2,1%. Já o avanço da economia britânica no período foi de 6,8% ao ano, ante alta de 23,6% no segundo trimestre, seguindo a mesma base comparativa. Para a Capital Economics, a desaceleração do PIB do Reino Unido deve persistir no quarto trimestre de 2021 e nos três primeiros meses de 2022, uma vez que já sinais de que a ômicron atingiu a economia local.

A Western Union pontua que “os participantes do mercado estão preferindo moedas e classes de ativos mais arriscadas, após uma queda no sentimento de risco na segunda-feira”. “A razão para a alta no apetite é difícil de identificar, dadas as restrições mais rígidas que foram anunciadas em toda a Europa para conter a covid-19 e as tensões geopolíticas aumentando entre a Rússia e o Ocidente”, reconhece, lembrando que as condições de mercado voláteis podem continuar à medida que avançamos para as semanas menos líquidas do ano.

Em 2022, a dinâmica da pandemia e a divergência global dos bancos centrais conduzirão as avaliações das moedas, aponta a Western Union. O combate à inflação e ao vírus é assimétrico e não está sendo travado em todas as regiões, o que criará divergências regionais que beneficiarão algumas moedas em detrimento de outras, avalia. Hoje, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, destacou a disseminação da ômicron como uma fonte de incerteza no curto prazo, ainda que a perspectiva econômica para a zona do euro nos próximos anos “pareça forte”. Segundo Lagarde, a inflação na região vai desacelerar a partir de 2022, ficando em 2023 e 2024 ligeiramente abaixo da meta de 2% no médio prazo da instituição.

Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.

Receba gratuitamente o Guia Prático do Bitcoin.

Credit: Fonte

Compartilhe sua opinião.

%d blogueiros gostam disto: