É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

Do BPI ao Tesouro: Bitcoin é um ativo estratégico para a segurança nacional

typewriter-gb95fc713f_1920.jpg

Compartilhe:

O BPI aceitou o desafio do Departamento do Tesouro norte-americano. O Tesouro solicitou comentários públicos sobre as implicações de segurança nacional dos ativos digitais, e o Bitcoin Policy Institute respondeu com uma bomba de um documento. Ele explica o valor geral do bitcoin como uma ferramenta para a liberdade. Ele compara o bitcoin a iniciativas clássicas financiadas pelos EUA, como a Radio Free Europe e a rede Tor. Toca o coração e expõe o caso de forma convincente.

Para persuadir as pessoas a lê-lo, o BPI resume assim:

“Os ativos digitais abertos que capacitam os indivíduos podem ajudar a promover a causa da liberdade, frustrar os objetivos de adversários autoritários e ajudar a promover um interesse central de segurança nacional. Sistemas peer-to-peer como o Bitcoin representam a essência da autonomia, cooperação voluntária e valores liberais sobre os quais nosso país foi construído.”

No Twitter, um dos autores adotou uma abordagem diferente. David Zell escreveu:

“Hoje, o Departamento do Tesouro dos EUA solicitou comentários públicos sobre as implicações de segurança nacional dos ativos digitais. Em resposta, Matthew Pines e eu enviamos este relatório, detalhando como o bitcoin promove os interesses e valores americanos no exterior.”

Agora sabemos com o que estamos lidando. Vamos analisar o caso do BPI para ver se nos convencem.

O BPI compara o Bitcoin ao Tor

O BPI prepara o cenário ao defender o bitcoin como um todo:

“O Bitcoin permite que qualquer pessoa no mundo com conexão à Internet armazene e envie valor de uma maneira que não possa ser revertida, congelada ou apreendida. É aberto e sem permissão. É diferente de outras criptomoedas por ser credivelmente neutra, amplamente descentralizada, não controlada por qualquer liderança ou equipe fundadora e otimizada para resistir à censura.”

A comparação bitcoin/Tor pode parecer estranha no começo, mas o BPI traz para casa com estes exemplos:

“Assim como o Tor permitiu que dezenas de milhões de pessoas vissem e acessassem a liberdade das sociedades abertas, o Bitcoin permite que dezenas de milhões escapem dos controles de capital de estados autoritários e se conectem ao sistema financeiro ocidental. Assim como o Tor consagra e exporta digitalmente o direito de se comunicar livremente em todo o mundo, o Bitcoin consagra e exporta digitalmente o livre comércio e o direito de realizar transações.”

Tabela de preços BTCUSD para 04/11/2022 - TradingView

BTC price chart for 11/04/2022 on Gemini | Source: BTC/USD on TradingView.com

O BPI Reconhece os Riscos

Na seção de riscos, o BPI parece jogar alguns projetos de altcoin sob o ônibus. Eles reconhecem que “grupos criminosos (alguns patrocinados pelo estado) aumentaram drasticamente a escala, sofisticação e gravidade das operações de ransomware”. Então, o BPI diz que os criminosos estão cada vez mais usando o Monero cada vez mais.

O BPI também admite que “as receitas de hackers e roubos estão aumentando”, mas dizem que é “impulsionado principalmente pelo aumento dramático nos fundos roubados dos protocolos de finanças descentralizadas (“DeFi”). Isso é verdade, mas o BPI teve que escrever o seguinte? “Esta parte do ecossistema criptográfico herda o ethos de “mova-se rápido e quebre as coisas” do Vale do Silício e seu código-fonte aberto é um alvo maduro para os hackers explorarem e colherem recompensas muito grandes.”

Por último, mas não menos importante, eles abordam o elefante na sala: “O Grupo Lazarus (um grupo de hackers controlado pelo serviço de inteligência norte-coreano) é o explorador dominante dos protocolos DeFi”. Mas então, o BPI culpa “o uso do mixer Tornado Cash baseado em Ethereum para lavar seus ativos roubados”. No entanto, eles não comemoram a decisão do OFAC de sancionar o contrato inteligente. O BPI escreveu que o ato “precipitou consternação generalizada na comunidade criptográfica e provavelmente será contestado no tribunal dos EUA”.

Para fechar a seção de risco, o BPI traz sanções e a Rússia:

“Tem sido um refrão comum que o Bitcoin é uma ferramenta útil para nações e entidades desonestas evitarem as sanções dos EUA. Essa preocupação foi levantada logo após a invasão da Ucrânia pela Rússia, mas até agora, nenhum uso significativo de Bitcoin para evitar sanções se materializou.”

Itens acionáveis ​​AKA Princípios Estratégicos

O BPI deixou o Tesouro com alguns itens simples de ação que chamaram de “princípios estratégicos”, para “mitigar o risco, maximizando a promessa dessas tecnologias emergentes”. Esses foram:

  • “Uma avaliação líquida equilibrada das amplas implicações do Bitcoin e outras redes de ativos digitais.” Essa tecnologia ainda é relativamente nova, é complexa e requer domínio de uma ampla variedade de tópicos para começar a compreendê-la.
  • “A política não deve ser elaborada de forma restrita para abordar um risco específico (por exemplo, financiamento ilícito) sem considerar os interesses estratégicos maiores em jogo.” Bitcoin é um assunto complexo, toca em tudo.
  • O BPI adverte contra “tomar decisões políticas prematuras e pesadas que superem aparentes interesses de segurança nacional em detrimento da inovação aberta e liderança tecnológica”.
  • E eles pedem ao Tesouro que reconheça que “as redes descentralizadas de ativos digitais, por definição, não têm líder ou órgão de governo e provavelmente estarão sub-representadas no processo político”. O que é um ponto extremamente importante a se fazer.
  • Para fechar, o BPI dá o melhor conselho ao Tesouro. “Nossas políticas fiscais transfronteiriças e regras contábeis devem tornar mais fácil para as entidades dos EUA receberem Bitcoin como investimento e como pagamento por exportações.”

Este relatório não é importante apenas para os EUA. A liderança de cada país deve estudá-lo e adaptá-lo às suas realidades. Bitcoin é tão importante.

Featured Image by Markus Winkler from Pixabay | Charts by TradingView

CBDCs, um cofre de banco

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *