David Marcus deixa Coinbase para evitar “Conflito de Interesses” e focar na Blockchain do Facebook.

2 347

Quase três meses depois do Facebook anunciar o lançamento de sua iniciativa Blockchain, o líder do projeto e ex-diretor do Messenger, David Marcus, anunciou que está deixando o conselho de administração da Coinbase.

Marcus, vice-presidente do Facebook desde 2014, entrou para o conselho da Coinbase, agora avaliada em US $ 8 bilhões, em Dezembro do ano passado.

Na época, o CEO Brian Armstrong disse que Marcus, que já foi presidente do PayPal, aplicaria sua experiência nos “pagamentos e espaço móvel” para orientar a Coinbase em sua missão geral.

Cinco meses depois, Marcus foi nomeado novo líder de pesquisa Blockchain do Facebook. A empresa não divulgou detalhes sobre o trabalho que está fazendo no campo, embora a equipe de Marcus tenha menos de uma dúzia de membros (a Business Insider informou na sexta-feira que o Facebook falou com “vários projetos de criptografia” sobre como ele pode alavancar a tecnologia, incluindo a Stellar, que desenvolveu a criptomoeda XLM).

Marcus indicou notavelmente em comentários anteriores que o Facebook pode adotar a Blockchain, referindo-se especificamente à idéia de enviar pagamentos por criptomoeda através de seu aplicativo Messenger.

Em um comunicado nesse dia 10/08, Marcus disse que sua decisão de renunciar foi “por causa do novo grupo que estou criando no Facebook em torno do Blockchain“.

Ele adicionou:

“Conhecer Brian, que se tornou amigo, e toda a equipe e diretoria da Coinbase tem sido um imenso privilégio. Fiquei impressionado com o talento e a execução que a equipe demonstrou durante meu mandato e desejo ao time todo o sucesso que merecem daqui para frente”.

Agora o Facebook está liberado para começar a falar publicamente sobre seus planos, embora ainda não tenha sido feito. “Ainda estamos nos estágios iniciais e estamos considerando várias aplicações diferentes para a Blockchain. Mas não temos mais nada para compartilhar neste momento”.

Ran NeuNer, Apresentador do crypto trader da CNBC tuitou:

Alguns motivos pela qual Marcus teve que deixar o conselho da Coinbase;
1. FB lançando uma exchange.
2. FB lançando uma plataforma de micro pagamento Crypro.
3. FB comprando Coinbase?
4. FB lançando uma carteira Crypto?
Algum outro?

3% de desconto com o FaceCoin.

O Facebook poderia criar uma carteira de criptomoedas com seu próprio token, que as pessoas poderiam usar para pagar por coisas com empresas parceiras ou que elas descobrissem por meio de anúncios no Facebook.

Como o Blockchain pode tornar as transações gratuitas ou muito baratas, o Facebook e seus parceiros poderiam evitar as taxas típicas de processamento de cartão de crédito. Isso potencialmente permitiria que o Facebook oferecesse aos usuários “3% de desconto em compras feitas com o FaceCoin” ou uma promoção similar.

Descontos como esse podem atrair usuários para o recurso de criptomoedas do Facebook. Ele está bem posicionado para executar esse esquema graças a suas conexões extensas com mais de seis milhões de anunciantes e 65 milhões de empresas que possuem páginas do Facebook.

A rede social poderia reduzir os custos de execução do programa, passando a economia da taxa de transação para os usuários e promovendo parcerias com o Facebook Crypto como formas de aumentar as vendas para as empresas. Isso poderia fazer com que os clientes gastassem mais dinheiro com anúncios no Facebook, pois os descontos aumentariam as taxas de conversão e impulsionariam as vendas.

P2P e micropagamentos.

O Facebook já permite que você envie dinheiro aos amigos pelo Messenger gratuitamente, mas apenas com um cartão de débito ou conta do PayPal. O Facebook poderia oferecer pagamentos baseados em criptomoedas entre amigos, para permitir que uma gama mais ampla de usuários liquidasse dívidas para jantares compartilhados ou táxis através do Messenger.

pagar via messenger

Os usuários podem financiar sua carteira do Facebook Crypto uma vez com um pagamento, possivelmente com uma taxa de transação única e então podem enviar e receber os tokens gratuitamente a partir de então. A Blockchain se tornando a espinha dorsal dos pagamentos peer-to-peer, poderia aumentar ainda mais o envolvimento com o Messenger para seus 1,3 bilhão de usuários.

Enquanto isso, o Facebook também poderia usar criptomoedas para permitir que os fãs enviassem micropagamentos para seus criadores favoritos, como estrelas de vídeo e streamers de jogos. O Facebook recentemente lançou sua própria moeda virtual (não criptografada), chamada Facebook Stars, que os usuários podem comprar e enviar para os criadores, que podem descontá-los por um centavo cada. O  Facebook leva um parte não revelada, mas dá ao criador a maioria do que os usuários gastam com as Stars.

O Facebook poderia potencialmente sustentar esse sistema com criptomoeda para aliviar as taxas de transação e permitir que as pessoas apresentassem menores quantias de dinheiro para conteúdo exclusivo ou apenas para mostrar sua apreciação. O Facebook começou com um mínimo de $ 3 de cada vez para que as taxas de transação não fossem muito altas de uma porcentagem da compra total. Uma solução com criptomoeda pode permitir que os usuários deem gorjetas muito menores, o que poderia atrair as pessoas para fazer mais uso dessa ferramenta. Quanto mais dinheiro o Facebook pode oferecer às celebridades da Internet, mais populares podem recrutar para viver em sua plataforma e mais conteúdo elas produzirão.

Facebook Connect para criptomoedas.

Um grande problema no mundo dos aplicativos descentralizados Blockchain é como você traz sua identidade com você. Conectar sua carteira com segurança, bens virtuais baseados em Blockchain e informações biográficas a novos dApps pode ser um processo trabalhoso.

Os usuários geralmente precisam digitar chaves alfanuméricas longas e complicadas, que são difíceis de lembrar e incomodativas à entrada. O design de experiência do usuário em torno da identidade no Blockchain fica muito atrás do que estamos acostumados com aplicativos sociais tradicionais como o Facebook Connect, que usa um login único, O Auth, para permitir que você junte aplicativos instantaneamente sem criar um novo nome de usuário e senha ou preenchimento de um perfil e fazer o upload de uma foto.

O Facebook pode usar sua experiência na operação de uma plataforma de identidade popular para facilitar o login no dApps. Embora a empresa tenha enfrentado muitos problemas de privacidade e ataques à integridade das eleições, o Facebook tem um forte histórico de não ser tradicionalmente hackeado.

Ele não sofreu uma grande violação de dados do usuário, como o LinkedIn, o Twitter e outras redes sociais. Usar um sistema de identidade excessivamente centralizado para conectar-se a aplicativos descentralizados pode ser contra-intuitivo, mas o Facebook pode oferecer a conveniência UX necessária para desbloquear uma nova onda de utilitário Blockchain.

Por enquanto, não está claro se o Facebook acabará competindo diretamente com a Coinbase no espaço de exchange e de carteira, ou se poderá, em vez disso, usar o Blockchain para acelerar seus esforços. E no lado da engenharia corporativa, o Facebook poderia construir uma infraestrutura de armazenamento descentralizada para reduzir suas contas massivas de servidores. Mas com bolsos profundos, toneladas de talento tecnológico e onipresença entre networkers e empresas sociais, os principais limites do Facebook Crypto são suas ambições e a extensão da confiança do usuário.

2 Comentários
  1. O Facebook está trabalhando em uma criptomnoeda para transferências por WhatsApp.

    […] inicialmente revelou em maio passado que seu grupo blockchain experimental seria liderado por David Marcus, o executivo […]

  2. Muitas indagações na audiência sobre a Libra nessa terça-feira - Libra Coin Brasil

    […] relata um correspondente em 16 de julho, David Marcus, chefe da carteira de criptomoedas do Facebook, Calibra, está enfatizando a confiança do projeto […]

Compartilhe sua opinião.

%d blogueiros gostam disto: