ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Como o otimismo preencheu o dente perdido

Jyhwoicoezbkjkqmvkqhigwv2y.jpg

Compartilhe:

DENTE FALTA PREENCHIDO: Otimismo, o Ethereum projeto camada 2, fornece a base tecnológica para alguns dos maiores nomes do blockchain, incluindo o popular blockchain Base da exchange Coinbase e o World Chain da Worldcoin, do fundador da OpenAI, Sam Altman. Mas durante anos, os blockchains que usaram a tecnologia do Optimism foram construídos de acordo com uma falsa premissa subjacente: que eles “pegaram emprestado” o aparato de segurança do Ethereum. Na realidade, não foi esse o caso, porque lhes faltava uma funcionalidade crucial conhecida como “provas de falhas” – usada para desafiar atores suspeitos de comportamento malicioso. Na segunda-feira, a tecnologia há muito prometida finalmente chegou à rede principal do Optimism, Margaux Nijkerk da CoinDesk relatado terça-feira. “Nós literalmente excluímos todo o sistema, reprojetamos e reescrevemos tudo”, disse Karl Floersch, CEO do OP Labs, em entrevista ao CoinDesk. “Isso foi brutal, mas absolutamente a decisão correta.” A conquista poderá atenuar algumas das críticas mais truculentas ao projeto; tecnologia de “prova” semelhante é usada por todas as redes rollup de camada 2, incluindo concorrentes do Optimism como Arbitrum. Sem provas de falhas, os usuários que depositaram fundos no Optimism precisavam confiar no rollup “conselho de segurança” devolver seus fundos – um sistema vulnerável a possíveis erros humanos ou preconceitos. Com provas de falhas, os usuários só precisam confiar na segurança do Ethereum. Por enquanto, porém, o Conselho de Segurança permanecerá intacto e ainda poderá intervir no caso de o sistema à prova de falhas falhar.

Fonte

Deixe um comentário