ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Chuvas no RS: veja como era a barragem 14 de Julho, que colapsou no interior do estado

Barragem 14 De Julho Set 11 La Ferreira.jpg

Compartilhe:

A barragem da usina 14 de Julho, na Serra Gaúcha, teve um rompimento parcial na tarde desta quinta-feira (2) em razão do alto volume de água recebido após as fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul desde o início da semana.

Segundo o prefeito de Bento Gonçalves, Diego Segabinazzi Siqueira, o rompimento gerou uma onda de 2 metros de altura que atingiu o município e agitação para cidades vizinhas, como São Valentim do Sul e Santa Tereza.

Em entrevista à CNNSiqueira afirmou que ainda não é possível ter a noção exata das consequências do rompimento, já que há diversas áreas do município que não puderam ser acessadas.

Onde fica a barragem

Localização da barragem 14 de Julho, no Rio Grande do Sul
Localização da barragem 14 de Julho, no Rio Grande do Sul / Reprodução/Google Maps

A barragem 14 de Julho fica localizada na Serra Gaúcha. À margem direita, ficam os municípios de Cotiaporã e Veranópolis. Na margem esquerda está a cidade de Bento Gonçalves.

A estrutura fica no rio das Antas e fica a 28 km do centro de Bento Gonçalves e a 150 km da capital do estado, Porto Alegre.

Veja a barragem em imagens de satélite:

Segundo a Companhia Energética Rio das Antas (Ceran), que é responsável pela operação, a usina tem vazão máxima diária de 7.207 metros cúbicos por segundo e seu nível máximo normal de seu reservatório é de 104 metros.

Veja mais fotos de satélite:

Por meio de nota, a Ceran informa que detectou às 13h40, do dia 2 de maio, o rompimento parcial do trecho direito da barragem da usina 14 de Julho, devido ao aumento contínuo da vazão do Rio das Antas e das fortes chuvas que atingem o estado do Rio Grande do Sul desde terça-feira (30). A Defesa Civil foi comunicada do ocorrido para tomadas de ações adicionais.

“O Plano de Ação de Emergência foi colocado em prática no dia 1 de maio, às 13h50, em progressão com as Defesas Civis da região, com acionamento de sirenes de evacuação da área, para que a população local pudesse ser retirada com antecedência e em segurança. As barragens de Monte Claro e Castro Alves encontram-se em estado de Atenção e seguindo monitoradas.”

“A Ceran segue em contato com as autoridades competentes e ressalta o cuidado com as pessoas. A empresa pede a todos que se informem através de seus meios de comunicação oficiais.”

Fonte

Leave a Comment