ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Brasil critica corte de financiamento à agência da ONU em Gaza após denúncias contra funcionários

Tagreuters.com2023binary Lynxmpejad10x Filedimage.jpg

Compartilhe:

Ó Brasil se manifestou contrário à decisão de alguns países que cortaram o financiamento à agência da ONU em Gaza após denúncias de suposto envolvimento de um grupo de funcionários nos ataques terroristas do Hamas.

Em comunicado publicado na noite desta quarta-feira (31), o Itamaraty informou que “acompanha com atenção o andamento a investigação interna da Organização das Nações Unidas”.

“O Brasil confia em que as investigações, ora em curso, conduzidas pelo Escritório de Serviços de Supervisão Interna das Nações Unidas (OIOS), e que resultaram na demissão de funcionários da Agência, chegarão a bom termo”, acrescentou.

Israel alegou que 13 funcionários da Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras para os Refugiados da Palestina no Oriente Próximo (UNRWA) associados ao ataque surpresa do último dia 7 de outubro.

Após a denúncia, cerca de 15 financiadores da UNRWA, incluindo Estados Unidos e Alemanha, por exemplo, anunciaram a suspensão das doações.

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu pediu o fim da agênciaque é o principal grupo de ajuda humanitária na Faixa de Gaza.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse que essas denúncias não devem ser explicadas a redução das contribuições dadas por países para o funcionamento da agência.

O Itamaraty afirma que o congelamento do dinheiro “pode levar ao colapso das atividades da agência, no contexto de grave crise humanitária em Gaza”.

O governo do Brasil ainda citou a decisão da Corte Internacional de Justiça (CIJ)que é juridicamente vinculante aos países-membros da ONU, que aborda o “imperativo de garantir o acesso humanitário aos cidadãos de Gaza”.

“A população civil palestina na região e os esforços de ajuda humanitária têm na UNRWA um ponto de apoio indispensável”, declarou o Itamaraty.

“Desde 7 de outubro de 2023, a UNRWA realiza atendimento vital a mais de 1,4 milhão de pessoas na Faixa de Gaza. Cabe lembrar que 152 funcionários da Agência em Gaza foram mortos desde o início da explosão militar israelense em resposta aos atos terroristas do Hamas”, completou a nota.

O comunicado concluiu reiterando a posição brasileira pedindo um cessar-fogo e a liberação dos reféns do Hamas detidos em Gaza.

“O Brasil permanece comprometido com a defesa de um Estado palestino economicamente viável convivendo lado a lado com Israel, em paz e segurança, dentro de fronteiras mutuamente acordadas e internacionalmente reconhecidas, que incluem a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, tendo Jerusalém Oriental como sua capital .”

Fonte

Leave a Comment