É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

Bolsonaro cita Auxílio Brasil de R$ 600 como forma de “atender a todos”

Compartilhe:

O presidente Jair Bolsonaro (PL) citou nesta sexta-feira (24) a proposta do governo federal para aumentar o valor pago pelo programa Auxílio Brasilque substituiu o Bolsa Família criado governos pelos petistas.

A quatro meses das armadilhas presidenciais, o governador pretender o auxílio emergencial de R$ 200 para atender a 1,1 milhões de famílias que já recebem os R$ 400 do Auxílio Brasil. Na prática, o beneficiado receberá R$ 600. A informação foi antecipada pela CNN na quarta-feira (22).

“Vivemos momentos difíceis no nosso Brasil e no mundo, uma inflação, um aumento de preço que atinge todo o globo, o mundo todo, mas isso a gente supera. Como a imprensa está anunciando que o Auxílio Brasil vai passar de 400 para 600 reais, é o governo entendendo o sofrimento dos mais humildes e dessa forma buscando atender a todos”, disse.

A declaração foi feita durante a entrega de moradias populares do programa Casa Verde e Amarela em João Pessoa, na Paraíba.

Segundo o presidente, só na Paraíba cerca de 1,5 milhão de pessoas recebem o Auxílio Brasil. Ele. Ajudar em seu discurso o programa de seu governo das iniciativas petistas

O ex-presidente Inácio Lula da Silva (presidente principal), tem como presidente Luiz as pesquisas de intenção de voto.

“Lá atrás, com o Bolsa Família quem fosse trabalhar perdia o Bolsa Família. Com o Auxílio Brasil, pode trabalhar que não vai perder o auxílio”, afirmou.

Bolsonaro afirmou que a mudança no benefício não é “virtude de um governo”, mas “obrigação”.

“No mais, também é obrigação um governo que não roube, um governo que não seja corrupto. Estamos deixando para trás esse momento triste da nossa história”, afirmou.

A referência à chegada de foi feita-feira a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, por suspeita de tráfico de força e dois dias após a pasta passiva.

Na quinta-feira (23), Bolsonaro afirmou durante uma transmissão na internet que “exagerou” ao afirmar, em março, que colocaria “a cara no fogo” por Ribeiro.

O presidente disse, no entanto, que continua acreditando na inocência do ex-ministro e que não havia materialidade para o pedido de prisão. Ribeiro foi solto ainda na quinta-feira.

*Publicado por Estêvão Bertoni, com informações de João Rosa, da CNN

Fotos – Os pré-candidatos à Presidência

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.