ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

BlackRock olha o blockchain além do Bitcoin por meio de cadeias de fornecimento de contratos inteligentes

Supply Chain.jpg

Compartilhe:

Em entrevista no recente VettaFi Simpósio de CriptomoedaJay Jacobs, chefe de ETFs temáticos e de ações ativas dos EUA na Pedra Pretadestacou a jornada para o lançamento do ETF iShares Bitcoin Trust (EU MORDO) e a visão de longo prazo da BlackRock sobre blockchain.

O desenvolvimento do iShares Bitcoin Trust, explicou ele, resultou da demanda dos clientes pela incorporação de diversas classes de ativos na estrutura familiar e eficiente do ETF. Jacobs enfatizou as três principais vantagens do ETF Bitcoin: acesso, conveniência e qualidade. Ao oferecer exposição ao Bitcoin em um formato tradicional de ETF, a iniciativa da BlackRock atende investidores que buscam diversificar seus portfólios com ativos digitais, ao mesmo tempo que simplifica as “complexidades” associadas aos investimentos diretos em criptografia.

Jacobs explicou que a criação do IBIT reflecte a capacidade tecnológica e a experiência em gestão de risco da empresa e responde à evolução das necessidades dos investidores num cenário económico em mudança. Segundo Jacobs, o ambiente atual, caracterizado por altas taxas de juros, incertezas geopolíticas e desafios macroeconómicos levam os investidores a estratégias de carteira mais granulares. O Bitcoin e os ativos digitais oferecem, portanto, um caminho alternativo para diversificar as carteiras de investimento.

Jacobs também investigou o contexto mais amplo do mecanismo subjacente do Bitcoin na blockchain como tecnologia. Ele identificou o blockchain como um livro-razão descentralizado e muitas vezes público que rastreia a propriedade e permite transações peer-to-peer sem intermediários. Esta tecnologia, sublinhou Jacobs, tem implicações de longo alcance para além das criptomoedas, como na gestão da cadeia de abastecimento, onde pode melhorar a segurança, a transparência e a eficiência.

As opiniões de Jacob alinham-se com uma tendência cada vez maior sugerindo que os ETFs de Bitcoin podem ser um cavalo de Tróia para que os ativos digitais ganhem terreno nas principais instituições. Colin Butler, do Polygon Labs, disse CriptoSlate recentemente aquele web3 infraestrutura é capaz de lidar com os trilhões de dólares detidos por instituições corporativas, e até Jamie Dimon reconhece o poder do blockchain para tokenizar ativos.

Quanto à curva de adoção do blockchain, Jacobs acredita que a tecnologia ainda está em seus estágios iniciais. Embora seja uma promessa significativa, a sua aplicação generalizada nas indústrias e nos governos ainda não foi totalmente concretizada. Ele diz que as implicações do blockchain no mundo real, especialmente em áreas como gestão da cadeia de suprimentos, são vastas. Jacobs argumentou que o blockchain pode melhorar a segurança dos produtos, agilizar os processos de pagamento e identificar rapidamente pontos de falha na fabricação, levando a operações mais ágeis e eficientes.

A incursão da BlackRock em ETFs de Bitcoin atende ao crescente apetite dos investidores por opções de investimento diversas e granulares entre seus clientes. Também sinaliza uma mudança mais ampla na abordagem do setor financeiro em relação aos ativos digitais e à tecnologia blockchain. CEO da BlackRock Larry Fink também anunciou recentemente o potencial do blockchain em destacando o poder da tokenização para combater a corrupção.

Fonte

Leave a Comment