BIP 340, 341 e 342: Três grandes mudanças podem causar um soft fork no Bitcoin.

0 743

O colaborador do Bitcoin Core, Peter Wuille, anunciou no Twitter que a proposta de soft fork do Bitcoin Taproot / Schnorr ou formalmente apresentada como Bitcoin Improvement Proposal (BIP) 340, 341 e 342 foi publicada.

A implementação do soft fork agora dependerá da escolha da comunidade. A proposta contém alterações significativas na escalabilidade, privacidade, fungibilidade e inovação de script na Blockchain do Bitcoin.

Possíveis mudanças no Bitcoin.

Wuille continuou a twittar que essa proposta é final, e nenhuma mudança semântica será feita além de quaisquer problemas significativos, se encontrados em uma revisão. Os autores da proposta incluem Pieter Wuille, Anthony Towns, Nclr e Tim Ruffing.

A ideia inicial do Taproot foi divulgada por Greg Maxwell, que também foi desenvolvedor do Bitcoin Core. Ele esperava melhorar a privacidade na Blockchain do Bitcoin, fazendo com que todas as transações pareçam indiferenciadas.

Bitcoin com privacidade.

Posteriormente, um soft fork do Blockchain que combina Taproot e Shnorr proposta pelo desenvolvedor Core, Peter Wuille. Schnorr deve habilitar o cluster de assinaturas e, por sua vez, permitir que o Taproot trabalhe na Blockchain do Bitcoin.

Isso é visto por muitos como uma grande mudança no modelo do Bitcoin devido às mudanças significativas feitas em seu sistema de privacidade.

Steve Lee, gerente de produto da Square Crypto, também previu que a proposta também planejava reduzir de 30 a 70% em taxas e melhorar a validação de blocos em 2,5 vezes.

O algoritmo de assinatura digital da Elliptic Curve que atualmente está implantado, possui desvantagens específicas ao manter a privacidade e a fungibilidade, e a proposta de atualização ajuda a aliviar esses problemas, ocultando pagamentos específicos quando pesquisado por uma terceira parte.

A atualização proposta ajudaria a evitar a necessidade de assinar várias assinaturas digitais e validar várias chaves para permitir as transações, também ao permitir que os usuários assinassem uma assinatura Schorr em cluster para verificar a chave Taproot. Isso explicaria todos os mesmos procedimentos complexos, mas de uma maneira mais simples.

A atualização trás inovações nos códigos.

A atualização Taproot também inova em scripts, permitindo “várias assinaturas e chaves complicadas, também elimina as limitações de quantos scripts podem ser usados ​​para gastar moedas”.

A comunidade técnica já demonstrou grande interesse nas implicações do Taproot / Schnorr, pois não só resolve os problemas de privacidade e fungibilidade, mas também reduz as taxas, reduz o tempo dos blocos e, ao mesmo tempo, traz mais funcionalidade à rede do Bitcoin.

Se a revisão da proposta final for bem, à implementação aos códigos do Bitcoin será possível e a comunidade técnica começará a discutir como ativá-lo na rede.

Uma vez feito isso, um aviso de ativação será publicado e, se todas as condições para ativação forem cumpridas e se tudo for conforme o planejado, o soft fork estará ativo.

Receba gratuitamente o Guia Prático do Bitcoin.

Fonte thecoinrepublic
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.