É Top Saber - Notícias e Análises

Redes sociais

Bank of Korea testa com sucesso remessas com teste CBDC

korean-flag-2639315_1280-1000x600.jpg

Compartilhe:

O Banco da Coreia, o banco central da Coreia do Sul, testou com sucesso um programa que facilita as remessas entre países, vinculando moedas digitais do banco central (CBDCs) de diferentes países. O banco central também testou a CBDC nacional para comprar NFTs.

O banco havia estabelecido anteriormente um sistema de monitoramento de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, que facilitava o envio de dados. O experimento descobriu que um CBDC poderia processar até 2.000 transações por segundo.

O Governador do Banco da Coreia, Chang Yong Rhee, deu recentemente uma discurso de abertura sobre o tema do experimento CBDC da Coréia do Sul. Ele mencionou que o Banco da Coréia completou seu experimento de 10 meses em um won sul-coreano digital.

Rhee também afirmou que a tecnologia de contabilidade distribuída (DLT) que sustenta a criptografia não possui a escalabilidade necessária para um CBDC de varejo. Como resultado, pode ser preferível usar o banco de dados contábil centralizado padrão.

Ele também concluiu que as transações CBDC são possíveis mesmo quando os dispositivos do remetente e do destinatário não estão conectados a uma rede de Internet, graças às funções de comunicação integradas, como a comunicação de campo próximo (NFC).

“Percebemos que não existe tecnologia perfeita ou designs de CBDC que possam satisfazer todos os vários objetivos e expectativas ao mesmo tempo”, disse Rhee. Ele acrescentou que algumas decisões sobre os CBDCs exigem compensações, como melhorar a conformidade ao custo da privacidade.

A Coreia do Sul iniciou seu teste de CBDC no ano passado e terminou a primeira de duas fases em janeiro.

De agosto a dezembro do ano passado, o banco criou um ambiente de simulação CBDC baseado em DLT na nuvem. Em seguida, testou funções básicas, como fabricação, emissão, distribuição e resgate.

A possibilidade de implementar funções estendidas, como transações offline, transações de ativos digitais e tarefas de suporte a políticas, foi testada na segunda fase. Essa fase durou até junho passado.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *