ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Bacias hidrográficas da Amazônia registram níveis abaixo da normalidade para a época, aponta monitoramento

Tagreuters.com2023binary Lynxmpej940en Filedimage.jpg

Compartilhe:

De acordo com o Boletim de Monitoramento Hidrometeorológico da Amazônia Ocidental, elaborado com os dados do Serviço Geológico do Brasil (SGB), do Ministério de Minas e Energia (MME), e enviado em primeira mão à CNNtodas as bacias hidrográficas da Amazônia ocidental registraram níveis abaixo da faixa de normalidade para o período, na última semana.

As bacias do Rio Branco, Rio Negro, Rio Solimões, Rio Purus, Rio Madeira e Rio Amazonas estão com os níveis de água descendo, vazão anormal, mesmo na época de estiagem.

A exceção é o Rio Branco, em Caracaraí, que apresentou descidas na semana passada, mas as cotas registradas estão dentro da faixa da normalidade. Já, em Boa Vista, o nível desceu 28 centímetros — anormal para o período.

Em Barcelos, o Rio Negro manteve o comportamento de descida e, em Manaus, apresentou queda da recessão diária, com descidas médias nos últimos dias na ordem de 12 centímetros.

Em Tabatinga, o Rio Solimões voltou a descer ao longo da semana, apresentando descidas médias diárias de 10 centímetros. Já no Rio Amazonas, o nível desceu uma média diária de 13 centímetros no Careiro da Várzea e 14 centímetros, em Itacoatiara.

Nesta quinta-feira (05), o Rio Negro, em Manaus, atingiu a cota de 14,90 metros, de acordo com o Porto de Manaus. Esse é o nono nível mais baixo já registrado no rio na série histórica. A menor cota foi registrada em 2010, ano de seca extrema na região Norte, quando as réguas marcaram 13,63 metros.

O volume de chuva ficou abaixo da média

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nos últimos meses, o volume de chuva em toda a região amazônica ficou abaixo da média.

Os maiores déficits ocorreram, principalmente, no centro-norte da região nos meses de junho, julho e agosto. Em Manaus (AM), foram registrados 130,9 milímetros, sendo que a média é de 202,2 milímetros.

A previsão do Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), é de que os volumes de chuvas que normalmente chegam no final do ano chegam abaixo da média, com risco de que alguns rios não atinjam os valores normais.

Até 25 de dezembro deste ano, há probabilidade superior a 75% de ocorrência de vazões abaixo da média nos rios localizados em toda a região Norte e na região Centro-Oeste do Brasil, com exceção do estado do Amapá e da região nordeste do estado do Pára.

A previsão de vazão em todos os pontos do Rio Negro indica aumento gradual das vazões, porém com permanência de vazão abaixo da média até o final do período previsto.

Em todos os pontos do Rio Solimões também deve haver aumento gradual das vazões, porém com permanência de vazão abaixo da média até o final do período previsto.

*Sob supervisão de Márcia Barros

Fonte

Leave a Comment