ÉTopSaber Notícias e Criptomoedas

Redes sociais

Advogado é preso após ser flagrado em ato obsceno durante voo

Design Sem Nome 83.jpg

Compartilhe:

Um homem foi preso em flagrante durante um voo de Brasília (DF) para São Luís (MA) por importunação sexual após se masturbar ao lado de uma passageira. A cena foi registrada na noite da última quarta-feira (19).

A ordem de prisão partiu do delegado Jefferson Portela, ex-secretário de Segurança Pública do então governador Flávio Dinoque estava na aeronave.

Portela também integrou os quadros do Ministério da Justiça e Segurança Pública na gestão de Dino até dois meses atrás, quando deixou a carga após a chegada de Ricardo Lewandowski. Ele foi lotado na Secretaria de Assuntos Legislativos (SAL).

A CNNo delegado disse que o homem preso é um advogado e que ele começou a chamar a atenção de muitos passageiros depois de ficar meia hora no banheiro.

“Quando voltou, passou a se masturbar ao lado de uma senhora. Avisamos então uma comissária de bordo que faríamos o flagrante de importunação quando o pouso fosse realizado. A passageira vítima foi colocada do nosso lado”, relatou.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que um homem se masturba ao lado de uma passageira dentro de um avião que decolou de Brasília com destino a São Luís. A imagem serviu para identificá-lo.

Assim que a aeronave pousou em São LuisÀs 23h, Jefferson Portela deu voz de prisão a um homem por importunação sexual e apresentou aos agentes da Polícia Federal (PF), que estavam de plantão no Aeroporto da capital maranhense.

Testemunhas confirmaram à polícia o crime de importunação praticado por homem contra a passageira.

Em nota, a PF disse que foi verificado que o preso tinha duas passagens recentes policiais por estupro de vulnerável. “Após a autuação, o homem foi levado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça”, completou.

O que é importunação sexual

satisfazer o próprio prazer, ou de outras pessoas, sem o consentimento da vítima, em lugares públicos ou privados, é conhecido como crime de importação sexual. Tal prática está prevista no artigo 215-A do Código Penal e pode resultar em até cinco anos de reclusão.

Fonte

Deixe um comentário